Foto: Arquivo da Família Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Lilianne da Silva Cirino

Os réus Luciano Lúcio Teixeira e Isael Dias dos Santos foram condenados pela morte da estudante universitária Lilianne da Silva Cirino, ocorrida em agosto de 2015, no município de Marechal Deodoro.

O primeiro acusado deverá cumprir 21 anos e 4 meses de reclusão por homicídio qualificado. Já o segundo, recebeu a pena de 26 anos de prisão por homicídio qualificado, estupro e ocultação de cadáver.

O julgamento fez parte das ações do Mês Nacional do Júri e foi conduzido pela juíza Juliana Batistela. A magistrada manteve a prisão preventiva dos acusados, "a fim de se garantir a ordem pública e considerando ainda o quantum da reprimenda imposta aos mesmos".

O caso

O corpo de Lilianne da Silva Cirino, de 25 anos, foi encontrado 17 dias depois que ela desapareceu em um posto de combustível. Informações repassadas pela PC revelam que Liliane teria sofrido abuso sexual, estrangulada e logo após teve parte de seu corpo carbonizado, numa mata em Crabeiras, local onde o corpo foi encontrado em Marechal Deodoro.

Investigações apontam que Luciano atuava como fornecedor de entorpecentes na região de Marechal Deodoro e teria vendido entorpecentes à estudante. No dia do seu desaparecimento, Luciano teria encomendado a morte de Liliane a Isael porque a jovem estaria com dívidas de drogas.