Foto: Reprodução TVM 7ec6f241 daa8 42a9 b8bd 638b6d184880 Quadrilha teria aplicado um golpe de R$ 430 milhões contra os cofres públicos, através de sonegação de impostos, segundo investigações.

Foi preso em Alagoas, um empresário acusado de comandar um esquema de sonegação de impostos no setor têxtil do estado do Ceará. A prisão foi feita na última quinta-feira (15) pela Polícia Civil cearense, em uma fazenda localizada em São José da Laje, município da Zona da Mata alagoana, e divulgada nesta segunda-feira (19).

Segundo as investigações, Jovilson Coutinho Carvalho é empresário do ramo de tecidos e confecções, no Ceará, e seria líder de uma organização criminosa, que atuava por mais de dez anos e que teria aplicado um golpe de R$ 430 milhões contra os cofres públicos, através de sonegação de impostos.

A operação batizada de “Dissimulare” foi deflagrada em setembro de 2017 e já prendeu 13 pessoas envolvidas no esquema. Empresários e auditores da Secretaria da Fazenda (Sefaz) faziam parte do processo de lavagem de dinheiro, cujo Jovilson Carvalho, chefe da organização, era considerado foragido até sua prisão em Alagoas.

Esquema

Jovilson Coutinho Carvalho foi denunciado pelo Ministério Público do Ceará (MPCE) por crimes contra a ordem tributária, lavagem de dinheiro e organização criminosa, junto de mais 18 acusados de participar de um esquema criminoso que teria causado um prejuízo de R$ 430 milhões aos cofres públicos do Estado do Ceará e realizado movimentações financeiras de um valor que ultrapassa R$ 1 bilhão.

De acordo com o MPCE, o empresário constituía empresas de fachada, compostas por sócios-laranjas e, através delas, comprava tecidos em outros Estados, repassando-os a outras empresas beneficiadas. Assim, o grupo burlava o recolhimento de ICMS, e possibilitava a revenda por um preço bem mais baixo, causando prejuízo aos cofres públicos estaduais.

Na investigação, a Polícia Civil detectou a existência de 27 empresas de fachada.

Jovilson foi encontrado em uma fazenda, na zona rural do município de São José da Laje, por volta de 15h, e não ofereceu resistência à prisão. Ele foi levado ao 119º DP, em Santana do Mundaú (AL) e deve ser transferido ao Ceará até esta terça-feira (20).

 

*com informações Diário do Nordeste