Foto: Olival Santos 1fe0e429 1094 41d8 ac76 03398ccf8f03 Hospital Geral do Estado

A criança de três anos, vítima de ser estuprada pelo padrasto que se encontrava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral do Estado (HGE) há cerca de 40 dias foi transferida para a ala pediátrica da unidade de saúde nesta sexta-feira, dia 16, porém seu estado de saúde ainda segue grave.

A Perícia Oficial divulgou o laudo do exame realizado na vítima, que confirmou a presença de fissura em mucosa anal na criança. O padrasto, que chegou a ser preso no momento da internação dela, é o principal suspeito do crime.

O caso começou a ser investigado no dia 4 de outubro deste ano, quando a menina deu entrada no Hospital Geral do Estado (HGE) com lesões em todo corpo e um trauma na cabeça. Na unidade de saúde a criança também foi diagnosticada com rupturas anais.

O padrasto da vítima,  estava com ela no hospital e foi preso como o principal suspeito do crime, tendo sido solto no mesmo dia. Na ocasião, ele negou a autoria do delito e afirmou que as lesões no corpo da criança teriam sido ocasionadas por uma queda. A polícia informou que suspeito tem histórico de agressões.