Arquivo 6a819240 d273 41cd a3f4 bb774364ce6c Ricardo Moraes

Em entrevista ao CadaMinuto na manhã desta sexta-feira (9), o presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB-AL, Ricardo Moraes, afirmou que o órgão deve investigar o caso dos onze suspeitos de praticar assaltos a bancos que morreram durante um confronto com a polícia nesta quinta-feira (8). Segundo ele, o momento atual é o de colheita de informações.

"Já comunicamos às autoridades e estamos oficiando os documentos para a investigação do caso. É um processo passo a passo e neste momento estamos na fase de colheita de informações. Estamos agindo formamelnte, sem fazer nenhum pré-julgamento. Foram muitas mortes e isso assusta um pouco. Queremos a legalidade da situação" afirmou o presidente.

Os integrantes do grupo seriam dos estados de Alagoas, Pernambuco, Pará, Paraíba, Rio Grande do Norte, Bahia e Sergipe e a operação policial responsável pelo caso foi denominada 'Cavalo de Tróia'. 

O caso

Onze suspeitos de praticar assaltos a bancos foram mortos após tocar tiros com a polícia, durante uma operação deflagrada nesta quinta-feira (8), no Sertão de Alagoas.

De acordo com as primeiras informações policiais, o grupo teria assaltado uma agência bancária na cidade de Águas Belas, em Pernambuco, durante a madrugada. Os supeitos foram surpreendidos pela polícia em uma residência localizada na zona rural de Santana do Ipanema, reagiram à voz de prisão e foram feridos durante uma intensa troca de tiros. Alguns foram socorridos e levados para hospitais da região, mas não resistiram e entraram em óbito. Nenhum policial se feriu.

No local, os militares encontraram dois fuzis, quatro espingardas calibre 12, pistolas, coletes balísticos, munições, explosivos e balaclavas (gorros utilizados para esconder o rosto). Uma caminhonete também foi apreendida.

 

*Estagiária sob supervisão da editoria