Foto: Lisa Gabriela/Cada Minuto F695f3aa 9620 4c29 8edd bb78620e9cb8 Delegados realizaram uma coletiva para conceder detalhes do caso

A Polícia Civil (PC) concedeu mais detalhes do caso da adolescente Giovanna Lopes Cavalcante Porangaba, de 15 anos, que foi morta com um tiro na cabeça neste sábado (20), em Maceió. Segundo o delegado Thiago Prado, os acusados estavam realizando assaltos na região e “se assustaram” no momento que Giovanna chegou à residência dela em um carro. A PC acredita que por este motivo, um deles atirou contra o veículo.

“Eles se quer imaginavam que tinham atingido uma pessoa já que depois do crime eles continuaram realizando assaltos. Depois de concluiu vários arrastões que eles voltaram para casa”, comentou o delegado.

Após a morte da jovem, o delegado informou que o secretário de Segurança Pública de Alagoas, Lima Júnior, acionou as forças policiais que fizeram um “cerco pleno e absoluto” na Grota do Rafael, no Jacintinho.

Thiago disse que os policiais se depararam com Maciel Gomes Sarmento que estava armado e não obedeceu a ordem de prisão e foi morto durante uma troca de tiros. Maciel era conhecido como “Alagoas”.

“Na casa do Maciel foram encontradas as roupas usadas por ele no momento do crime”, ressaltou o delegado.

A polícia também encontrou Gustavo Geraldo Oliveira dos Santos, o palhaço e Vitor Alexandre, Vitinho. Ambos estavam armados e foram mortos durante uma troca de tiros. Um quarto integrante da mesma facção criminosa está foragido. A polícia não revelou o nome do acusado.

O delegado disse que após a prisão do foragido é que a polícia vai dizer qual o crime que eles seriam indiciados, mas que pode ser um homicídio qualificado ou latrocínio. 

*Estagiária sob a supervisão da editoria