Foto: Ascom ALE Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Deputada Jó Pereira

O projeto para financiamento do Plano Estadual de Combate à Pobreza em Alagoas foi entregue ao Conselho do Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza (Fecoep) nesta quinta-feira (18). A Secretaria de Estado de Assistência e Desenvolvimento Social (Seades) já havia apresentado a proposta ao grupo de trabalho criado pra elaboração do plano.

No encontro, ocorrido na semana passada, no auditório da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), os técnicos da Seades apresentaram o projeto para a deputada estadual Jó Pereira e para os demais integrantes do grupo de trabalho.

A parlamentar explicou que o plano abrange as áreas da saúde, segurança alimentar, agricultura, inclusão produtiva, educação, infraestrutura, defesa civil, prevenção à violência e assistência social, visando à superação da pobreza e a redução das desigualdades sociais; acesso de pessoas, famílias e comunidades a oportunidades de desenvolvimento integral; e geração de emprego e renda.

Segundo Rodrigo Araújo, superintendente de Avaliação e Gestão da Informação da Seades, o projeto aborda o diagnóstico dos territórios por região administrativa, contemplando a população em situação de pobreza e das famílias pertencentes a Grupos Populacionais Tradicionais e Específicos (GPTE), organizadas por segmentos, incluindo visitas nessas comunidades, como os quilombolas, indígenas, ribeirinhas, agricultura familiar, população em situação de rua, assentados entre outros, além da participação de conselheiros. 

Também está prevista a identificação das ações, projetos, planos e políticas públicas de combate à pobreza ou correlatas em andamento ou execução em todo o Estado e os equipamentos públicos e privados que trabalham com o combate à pobreza, além da definição de indicadores de resultados e um observatório do plano.

“Hoje foi dado um grande passo para que o Fecoep analise a possibilidade de custear a elaboração do plano. E, graças à iniciativa da própria Seades, avançamos também com uma importante linha de contato com o Banco Mundial, que já se posicionou favorável ao financiamento. Marcaremos uma reunião em Brasília para que possamos alinhar e direcionar o financiamento da construção do plano por essas duas vertentes, Fecoep e Banco Mundial", explicou Jó Pereira.

Para ela, a exemplo do Banco Mundial, outros organismos internacionais e nacionais também podem ser provocados a participarem o projeto, colaborando para a expansão na abrangência de número de comunidades. “O trabalho precisa ter a capacidade de articular esses organismo e as comunidades, com a finalidade de fortalecer segmentos como crianças, jovens, mulheres e idosos, conquistando assim o fortalecimento da ação de combate à pobreza como um todo” finalizou a deputada.