A4f56f82 f04a 4f59 b0bf 762a3030b885

Essa parte da fitoterapia auxilia na conduta nutricional. 
A fitoterapia funcional estuda o mecanismo de ação dos fitoterápicos e a aplicação das plantas medicinais, em suas diferentes formas de apresentação na prática clínica.
Os chás podem ser utilizados pelas suas propriedades terapêuticas desde que se saiba quando, quanto e como utilizá-los. 
Cada planta tem os seus princípios ativos respectivos fazendo com que a sua ação farmacológica dependa da correta preparação e utilização. 
A melhor forma é a infusão das folhas e flores.  
Os saquinhos normalmente tem quantidades menores do princípio ativo da planta preferencialmente usar a erva in  natura ou a  erva seca.

Para flores e folhas: 1 litro de água, aguardar a água levantar fervura. Acrescentar 1 a 2 colheres de sopa da erva. Deixar abafar por 5 minutos.
Obs.: Utilizar 10 a 20 minutos para raízes e caules (para retirar as propriedades) que devem ser fervidos junto com a água em panela.
Armazenamento máximo: 24 horas, em geladeira ou em garrafa térmica e em recipiente que não seja plástico ou de alumínio.
Máxima Quantidade ingerida: 3 xícaras por dia. 
Vale ressaltar que não é porque é natural que se deve tomar à vontade, sem limites! Pois, os mesmos possuem efeitos colaterais também! 
Para dificuldade em dormir: chá de mulungu 
Para melhorar oa qualidade do sono: chá de melissa; chá de camomila 
Para dificuldade na digestão: chá de hortelã; gengibre; alecrim 
Para náuseas e enjoos: chá de gengibre 
Para azia gestacional: hortelã 
Para termogênese: camelia sinensis (chá verde, branco, vermelho, preto) * Para melhorar performance: chá mate
Para gases: chá de erva doce; chá de hortelã cominho; Funcho; Tomilho
Para auxiliar processo de emagrecimento: chás amargos como carqueja, hibiscos, cavalinha, canela E para lembrar: chá não se adoça, tá!!