Em debate de ideias com outros candidatos a deputado estadual e federal, na Universidade Federal de Alagoas (UFAL), o parlamentar Bruno Toledo (PROS) defendeu as bandeiras de seu mandato na Assembleia Legislativa do Estado de Alagoas. Toledo ainda fez um retrospecto de suas ações na Casa de Tavares Bastos.

O deputado estadual do PROS abriu sua fala defendendo uma auditoria da dívida pública do Estado de Alagoas, que se encontra na ordem de R$ 10 bilhões. De acordo com ele, mesmo Alagoas tendo um orçamento anual sem déficit e havendo uma renegociação da dívida, é preciso sim discutir a origem da dívida, os juros que incidem sobre ela e os responsáveis históricos.

Segundo o parlamentar, a discussão sobre a situação financeira do Estado de Alagoas sempre foi uma de suas pautas. “Inclusive, sempre coloquei no parlamento estadual, e trabalhei por projetos, que conduzissem o Estado a gastar menos com as atividades meio para que houvesse mais recursos para atividade fim. Por isso entendo que é preciso enxugar a máquina pública, para que esta seja uma prestadora de serviços a quem de fato precisa, ao invés de uma babá ou do estado-empresário que acaba gastando mal o dinheiro do contribuinte e acumulando prejuízos”, frisou.

Bruno Toledo ainda citou que, nessas discussões, é importante um parlamento que tenha divergências. “É preciso que tenhamos uma casa plural. Torço para que pessoas que pensem diferente de mim também se elejam, para que haja divergências e a busca por uma convergência naquilo que é bom para a população. Eu sempre busco me posicionar sobre os temas relevantes e deixar claras as minhas ideias por respeito a todos os cidadãos, todos os eleitores. Isto é de fundamental importância em uma democracia”.

Toledo ainda lembrou que levantou a bandeira da fiscalização dos recursos da Saúde, como quando denunciou o esquema de compras fracionadas e o calote que o Estado deu nos fornecedores enquanto “gastava R$ 180 mil em mobília e R$ 29 mil em cortinas” para a pasta. “São críticas quer fiz a este governo”.

“Defendo ainda uma redução brutal de gastos com publicidade. Propus uma PEC, que o Executivo articula para não colocar em pauta, que veda o uso de marcas de governo, passando a serem utilizados apenas os símbolos de Estado. Isto por si só já geraria uma economia na publicidade, sobrando recursos para outras áreas. Precisamos acabar com promoções eleitoreira e tornar a comunicação pública de utilidade pública”, destacou.

Para Bruno Toledo, o caminho para a geração de riqueza está na diversificação econômica, no apoio ao empreendedorismo e à livre-iniciativa, desburocratizando para que o pequeno empresário e o pequeno agricultor possa produzir. “Por isso o meu foco em apoio ao associativismo e ao cooperativismo e às ações da iniciativa privada com o Estado atrapalhando menos, seja pela redução da carga tributária, seja pela desregulação de leis que só pesam para cima de quem produz e trabalha”.

Toledo também defendeu a busca por Educação de qualidade e o combate à doutrinação escolar. “Escolas não podem ser campos de militância e arregimentação política de uma ideologia, seja ela qual for. Precisamos de conhecimento técnico e científico para que se ofertem oportunidades às pessoas na base. É isso que defendo, uma escola plural e focada naquilo que é preciso passar para o estudante, que é Português, a Matemática, a Física etc. A perda de tempo com a ideologização só traz danos como os que vemos hoje nos índices educacionais”.

A sabatina contou ainda com a presença de professores, que fizeram perguntas aos candidatos, e foi promovido pela Agência Experimental de Relações Públicas da UFAL. Para Bruno, espaços como esses são fundamentais para que as pessoas escolham os seus candidatos em função das ideias que eles defendem.