B55823df c4d7 45c0 9da8 37370a19ae82

 

Mobilização, engajamento, comprometimento e criatividade são as palavras que descrevem a noite do domingo (26), na capital do agreste. A inauguração da Casa Reaja Arapiraca pelo candidato ao senado Rodrigo Cunha trouxe explícito, já na fachada, que seu discurso de contenção de gastos, diálogo acessível da população com o poder público, e a mensagem de que inovação se faz com simplicidade e criatividade será reverberado também na sua campanha ao senado.

Já na sua chegada, RC mostrou que suas alianças políticas são mais do que meros acordos de campanha, são resultado de trabalho e de relações equilibradas e respeitosas ocorridas ao longo dos anos. Sua proposta construída dentro de uma lógica onde o “fazer” em prol da população tornou-se uma “missão”, também deixa nas entrelinhas, para quem quiser ler, seu posicionamento nesta campanha.  

 

O formato alternativo da Casa Reaja Arapiraca também resultou em um momento diferenciado para “todos” os convidados, principalmente para a classe política que foi convidada por RC a sentar-se no picadeiro da arena de debates para compartilhar o momento surpresa de homenagens.

O cerimonial, preparado por sua equipe de campanha, assegurou que os formatos ultrapassados de discursos de candidatos não tomassem voz para falar de si e de RC. Ao invés disso, foi dado vez e voz a quem o conheceu desde a infância, vivenciou sua adolescência e a fase adulta. Para quem não conheceu o menino, o jovem e o advogado, mas o político Rodrigo Cunha durante o seu mandato, pode também ter seu momento de representatividade para reafirmar a RC a assertividade de sua jornada.

Me atrevo a dizer que se a intenção da sua equipe foi reportar aos convidados a “essência” de um menino moleque, como tantos outros, que soube crescer com senso de justiça, transparência, ética, e renovação diante das agruras para reescrever sua história de forma digna honrando o que recebeu de seus pais, afirmo que a missão foi lindamente cumprida.

 

Adriana Cunha foi a responsável pelo depoimento que mais emocionou, não só por revelar a admiração e a credibilidade no trabalho do irmão RC, mas por deixar explícito que Ceci e Juvenal criaram e deixaram um legado de respeito ao próximo, e de que é necessário fazer a diferença para o bem, pois só assim se transformam vidas.

Adriana, pediatra e cirurgiã cardíaca infantil, salvando vidas e contribuindo para que famílias reescrevam suas histórias, e Rodrigo, legislador, reiterando que pode-se fazer políticas públicas com ética e transparência para proporcionar maior respeito e dignidade à população e a todos os seus segmentos, são sementes de um “Reaja” gerado por seus pais e que não floresceu agora, mas quando ambos, cada um ao seu modo, se permitiu e se comprometeu em espelhar o bem que trazem do berço e da genética.

 

Para quem foi à Casa Reaja Arapiraca viu de perto que o “movimento reaja” traz um conceito de vida e não apenas uma leitura, um engajamento, uma agitação momentânea, e isso foi o que realmente tocou a quem teve ouvidos atentos e um olhar generoso para ver além do ato político.

Encerrando a noite, Rodrigo Cunha deixou evidente que a Casa Reaja Arapiraca é mais uma ferramenta a serviço da população, tanto para conversar sobre política com lideranças e diversos segmentos da sociedade, quanto para as pessoas ficarem conhecendo um pouco mais sobre sua trajetória política.

 

O local, também é interessante falar, irá criar uma maior aproximação com o eleitor que queira material de campanha, incentivar o engajamento, adesivar veículos e tirar dúvidas, afinal de contas a “Casa” estará aberta diariamente, das 08h às 20h, como suporte a campanha de RC não só em Arapiraca, mas em toda a região agreste sertão e vale do São Francisco.