Montagem: Cada Minuto Ce89bedf 8823 43fd 9ef4 13f7bdb915b0 Rui e Cunha aguardam pesquisas do partido

A desistência do ex-governador Teotônio Vilela Filho (PSDB) de concorrer ao cargo de senador por Alagoas nas eleições deste ano deixa os dois maiores nomes do partido, na atualidade, praticamente em rota de colisão. Rodrigo Cunha e Rui Palmeira são os concorrentes diretos pela candidatura ao Senado. 

Os tucanos passam a conviver agora com uma disputa interna para saber quem vai ser o candidato ao senado e ao governo. O deputado estadual Rodrigo Cunha e o prefeito de Maceió, Rui Palmeira esperam pela decisão da legenda sobre o impasse. 

Os dois lados

De um lado o prefeito de Maceió, tido como candidato a governador desde que assumiu o segundo mandato de prefeito da capital, no início de 2017. Sua candidatura já era dada como certa dentro da legenda, mas a desistência de Téo Vilela acendeu o alerta e seu nome passou a ser cogitado agora para disputar o Senado. 

Do outro lado, o mais bem sucedido deputado estadual de Alagoas, Rodrigo Cunha, filho da saudosa deputada federal Ceci Cunha, que vive uma condição muito mais tranquila. Cunha vê grandes chances de disputar a reeleição na ALE ao mesmo tempo em que crescem as chances de disputar uma vaga na Câmara Federal. 

Chapa

Agora surgem mais duas opções: Se o PSDB decidir que Rui será candidato ao Senado, Cunha vai encarar a campanha para o governo e vive versa. Então os tucanos terão que buscar nas ruas, por meio de pesquisas e entre os partidos aliados da oposição, como vai formatar a chapa para as eleições de 2018. 

O tempo está correndo, já que o prazo para o prefeito de Maceió deixar o cargo para ser candidato expira em 7 de Abril. Já a condição de Rodrigo Cunha ser o vice de Rui Palmeira na chapa para o governo está descartada, segundo uma fonte tucana em Arapiraca, que tem como prefeito Rogério Teófilo (PSDB).