Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Uma grande mobilização acontece nesta quarta-feira, em Maribondo, contra os cortes no FPM – Fundo de Participação dos Municípios e no Fundeb - Fundo Nacional de Educação Básica. Os prefeitos decidiram manter esse protesto porque o repasse autorizado pelo governo federal de R$ 1 bilhão não cobre as perdas acumuladas. Desde que foram dadas isenções fiscais às montadoras e a linha branca dos eletrodomésticos, os municípios alagoanos perderam quase R$ 60 milhões de reais de janeiro até a segunda quinzena de setembro. Mesmo com essa segunda compensação financeira, de R$ 26.703.734,00, o déficit ainda é de R$ 11.771,148,00, número que pode aumentar até dezembro. Com relação ao Fundeb, o corte feito pelo governo já chega a R$ 100 milhões, dinheiro que está fazendo falta para pagar o reajuste dos professores e manter a educação básica.

Além dos prefeitos vão participar do movimento os vereadores, a sociedade civil organizada, estudantes e toda a comunidade que precisa saber como o governo federal está reduzindo o dinheiro que vai para a educação e para os serviços públicos, como atendimento médico, calçamento de ruas, e o pagamento dos funcionários públicos.Na quinta e na sexta, os prefeitos se mobilizam nas cidades .

E dia 23, em Brasília, a CNM vai mostrar a nação como os municípios estão sendo tratados. A Confederação Nacional quer sensibilizar o presidente Lula, mostrar que é no município onde tudo acontece e que os impostos que a gente paga precisam ser distribuídos com igualdade para que os prefeitos possam fazer mais pela população.