Foto:Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Comissão do concurso debateu pontos do termo de referência nesta terça-feira (9).

Nesta terça-feira (9), o Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ-AL) finalizou o termo de referência do novo concurso para servidores do Poder Judiciário estadual. O documento foi apresentado aos membros da comissão do certame pelo diretor de Gestão de Pessoas do TJ, Klístenes Silva Lessa Santos.

O concurso contemplará os cargos de técnico judiciário, analista judiciário (área de direito e de estatística) e oficial de justiça. “O termo de referência traz a sugestão da oferta de 120 vagas, mas vamos conversar com o financeiro para ver se o orçamento do Tribunal comporta uma quantidade maior”, afirmou Klístenes Lessa.

Ainda segundo o diretor, o conteúdo das provas será definido em conjunto com a empresa organizadora do certame. “O conteúdo específico será trabalhado na elaboração do edital e vai variar de acordo com o cargo, mas posso dizer que haverá ainda questões de português, raciocínio lógico, atualidades, noções de direito, legislação do Estado de Alagoas e Código de Organização Judiciária”.

A organizadora do concurso só poderá ser escolhida após a aprovação do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) dos servidores do Judiciário, que está tramitando na Assembleia Legislativa. “O termo de referência foi feito com base nesse novo PCCR. Só depois de aprovado o plano é que vamos abrir para a escolha da organizadora”, destacou Klístenes.

De acordo com o presidente da comissão, desembargador Alcides Gusmão da Silva, a intenção é que o concurso ocorra ainda neste ano. “Dependemos da aprovação [na Assembleia] porque o concurso está sendo elaborado com base na estrutura que o Tribunal passará a ter com o novo plano”, afirmou o desembargador, ressaltando que a chegada dos novos servidores vai melhorar a prestação jurisdicional no Estado.

Também participaram da reunião o juiz Hélio Pinheiro, o diretor-geral do TJ/AL, Alexandre Sodré, e o servidor da Assessoria de Planejamento e Modernização do Judiciário (APMP), Alexandre Caiado, além de Raquel Faião e Sandra Oliveira, ambas representando o Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário de Alagoas (Serjal), e Cícero Filho, do Sindicato dos Oficiais de Justiça (Sindojus).