Foto: Agência Alagoas 2d66b6fc 642d 40b9 943c a00864d8fce1

Mais 47 técnicos das Vigilâncias Sanitárias e Ambientais de 20 municípios alagoanos, responsáveis pela alimentação do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua), participaram de uma capacitação, cujo objetivo foi garantir resultados que assegurem a qualidade da água, evitando riscos e agravos à saúde humana. O encontro aconteceu na Sala de Treinamento da Gerência Executiva de Tecnologia da Informação (Getin) da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

De acordo com a gerente de Vigilância em Saúde Ambiental da Sesau, Elisabeth Rocha, o curso apresentou os conceitos da vigilância da qualidade da água utilizados no sistema, bem como os passos para operacionalização do mesmo. Também foi evidenciado que o sistema está integrado ao Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL), monitorado pelo Laboratório Central de Alagoas (Lacen/AL), responsável por analisar as amostras da água.

Participaram da capacitação os representantes das cidades de Maceió, Pilar, Viçosa, Coruripe, Jequiá da Praia, Tanque D’Arca, Capela, São Brás, Olho D’Água Grande, Maravilha, Mar Vermelho e Barra de Santo Antônio. Também estiveram presentes ao treinamento os técnicos dos municípios de Piranhas, Estrela de Alagoas, Palmeira dos Índios, Palestina, Campo Grande, Monteirópolis, Olho D’Água das Flores e Lagoa da Canoa. Conforme a gerente de Vigilância em Saúde Ambiental da Sesau, a próxima ação ocorrerá no dia 4 de abril, totalizando, segundo ela, 80% dos municípios alagoanos capacitados.

Sobre o Sisagua

O Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua) é um instrumento do Programa Nacional de Vigilância da Qualidade da Água para consumo Humano (Vigiagua). Ele foi construído com base no referido programa e na portaria MS n° 2.914/2011, que tem como objetivo auxiliar o gerenciamento de riscos à saúde associados à qualidade da água destinada ao consumo humano.

O Sisagua armazena informações cadastrais sobre os sistemas e soluções alternativas de abastecimento de água para consumo humano, bem como sobre a qualidade da água proveniente de cada uma das formas cadastradas, inferida pelos prestadores do serviço (controle) e pelo setor saúde (vigilância). A entrada de dados é dividida, basicamente, em três partes: Cadastro, Controle e Vigilância.

*com Agência Alagoas