Técnicos da Vigilância Sanitária Estadual e do Laboratório Central de Alagoas (Lacen) se reuniram nesta terça-feira (22) para discutir sobre o diagnóstico que será feito em toda a rede de hemodiálise do Estado, que é composta por 11 unidades. A ação faz parte do trabalho de fiscalização realizado, semana passada, pela Vigilância Sanitária de Alagoas e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na clínica Chama de Arapiraca, que constatou irregularidades no Setor de Manipulação do Concentrado Polieletrolítico para Hemodiálise (CPHD).

Segundo o diretor da Vigilância Sanitária Estadual, Paulo Bezerra, o diagnóstico será feito em conjunto com a as vigilância sanitárias municipais de Maceió, Arapiraca e Palmeira dos Índios, municípios onde estão inseridas as 11 unidades da rede de hemodiálise de Alagoas. Depois serão feitas as inspeções de rotina para coleta de água para ser analisada pelos técnicos do Lacen.

“Nosso objetivo é que as unidades possam adequar os serviços de hemodiálise oferecidos à população conforme as normas vigentes para não colocar em risco a vida dos pacientes que sofrem de doenças renais e que se submetem a hemodiálise”, afirmou.
Hemodiálise - A hemodiálise é um procedimento que filtra o sangue. Através da hemodiálise são retiradas do sangue substâncias que quando em excesso trazem prejuízos ao corpo, como a uréia, potássio sódio e água.