Crédito: Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Coach Luis Vale

Uma das barreiras enfrentadas na preparação para concursos públicos é a chamada “procrastinação”, uma prática de nome pouco usual, mas muito comum no dia a dia dos concurseiros. O ato consiste, basicamente, em deixar para depois o que deveria ser considerado prioridade, o que acaba influenciando o resultado final.

O coach Luís Vale, que é especialista em metodologia ATC (Aula, Técnica e Coaching), explica que “procrastinar” significa adiar projetos, objetivos e sonhos. “É o estudante deixar de lado tarefas importantes para promover coisas secundárias no seu dia a dia. É uma atitude mental de deixar para depois o que deveria se fazer agora”, observa.

Mas o que leva um concurseiro a procrastinar? Segundo Vale, há pelo menos quatro fatores que levam diretamente a essa prática. O primeiro deles é a baixa autoestima. O segundo é a necessidade de prazer imediato. Em seguida, aparece a antecipação da dor. E, por fim, está o fato dos candidatos conseguirem executar um planejamento de futuro.

“Às vezes o aluno está desestimulado, não sabe se está no caminho certo e acaba deixando para depois. O fato dele não ter confiança em si e no seu projeto faz com que ele procrastine. Outro ponto é pensar no prazer imediato. É muito mais fácil se distrair, principalmente com tecnologias, do que manter o nível de concentração nos estudos”, pondera.

E acrescenta: “O terceiro ponto é a antecipação da dor. O aluno vê aquilo como algo negativo e tenta evitar a dor, consequentemente deixando os estudos para depois. Por fim, esquece do futuro e deixa de fazer um planejamento efetivo, sem lembrar que, para atingir um objetivo futuro, é preciso começar a executar o planejamento hoje”.

Para superar essa prática, o coach orienta que os candidatos busquem ferramentas internas. “Uma das melhores formas para vencer a procrastinação é acreditar que é possível, mesmo que seja a médio e longo prazo. Outra prática, sem dúvida, é pensar naquilo que vai te dar estabilidade e deixar de lado pensamentos imediatistas”, ressalta.

Luís Vale explica que o processo de coaching é um aliado importante neste processo. “No coaching, nós trabalhamos com planejamento e com previsibilidade. O candidato passa a enxergar o seu potencial e vê a possibilidade de algo acontecer. Ele entende que para você chegar num determinado nível, você precisa iniciar o processo hoje”, conclui.