Em protesto à redução do Fundo de Participação dos Municípios, 15 prefeituras do Alto Sertão paraibano decidiram, na sexta-feira, dia 18, deflagar um "movimento grevista", que consistirá numa semana de mobilização em repúdio às perdas nos repasses dos recursos federais. Para se ter uma ideia, em média, desde o mês de março, o município de Cajazeiras já perdeu cerca de 800 mil reais, em relação ao mesmo período do ano passado, segundo informou o secretário de comunicação do município, José Anchieta.

Cajazeiras recebeu no último dia 10 a primeira cota do FPM do mês de setembro. Das cidades que compõem a Amasp - Associação dos Municípios do Alto Sertão da Paraíba, foi a que recebeu o maior repasse, perfazendo R$ 190.904,64.

O vice-presidente da associação dos municípios e prefeito de Cachoeira dos Índios, Francisco Arlindo (PR), afirmou que ficou deliberado em uma reunião que aconteceu nesta sexta que haverá quatro manifestações a partir do dia 23, sendo a primeira realizada na cidade de Uiraúna. No dia 24, o palco da movimentação será na cidade de Bonito de Santa Fé, seguida de Cachoeira dos Índios, no dia 25, encerrando o cronograma na cidade-sede da Amasp - Cajazeiras.

Para o prefeito, o próposito é sensibilizar o governo federal no tocante à situação emergencial que vive as prefeituras devido à queda mensal do Fundo de Participação dos Municípios. "É necessário que a sociedade e as autoridades de Brasília tomem conheciemnto da nossa realidade e tomem alguma atitude".

Ele ressaltou ainda, que não tem uma média percentual definida da queda do repasse, mas já chegou a 30% no mês, fomentando o desequilíbrio financeiro na esfera pública. Outro problema enfrentado é com relação ao repasse do duodécimo das câmaras. "Nosso repasse deve ser de 36 mil, mas só conseguimos pagar 18 mil e teremos que parcelar essa dívida", esclareceu. A saída encontrada pelos gestores para a crise nos munícipios será a demissão.

Em Cajazeiras, mais de 100 funcionários serão demitidos até o final de setembro. Segundo José Anchieta, a folha de pagamentochega a R$ 1,7 milhão.