Numa disputa direta pela liderança do Campeonato Brasileiro da Série B, um pequeno detalhe pode fazer a diferença. Mas no caso do jogo entre Vasco e Guarani, neste sábado, este detalhe veste a camisa 9 e tem faro de gol. Mais uma vez Elton deixou a sua marca e deu ao time cruzmaltino a vitória por 1 a 0, confirmando a equipe na primeira posição da tabela e cada vez mais perto do acesso à elite.

Com o resultado, o Vasco chegou aos 52 pontos, abrindo seis de diferença para o próprio Guarani, segundo colocado, e chegando a 12 de vantagem para o São Caetano, quinto lugar. Mesmo sem jogar bem, o time cruzmaltino foi embalado pela torcida, que compareceu em bom número ao Maracanã. O público registrado foi de 50.335 pagantes e 52.904 presentes.

 

Embora a partida fosse num estádio e num gramado maiores do que os de São Januário, o Vasco enfrentou a dificuldade habitual. Fechado à frente de sua área defensiva, o Guarani impedia a penetração cruzmaltina. A equipe da casa, no entanto, não mostrava a inspiração suficiente para vencer o problema.

O Guarani se dedicava quase que exclusivamente aos contra-ataques, se aproveitando da falta de organização defensiva do Vasco. À beira do campo, o técnico Dorival Júnior se desesperava, gesticulando muito por causa dos erros observados em sua equipe. Nas poucas vezes que usava as laterais, os cruzmaltinos assustavam o adversário, como aos 18 minutos, quando Paulo Sérgio cruzou pela direita e Elton desviou de cabeça. A bola passou raspando a trave esquerda de Douglas.

Na arquibancada, a torcida do Guarani entrava em confronto com a Polícia Militar depois que torcedores do Vasco puxaram e rasgaram uma faixa nas cadeiras azuis. Dentro de campo, time de Campinas também brigava, mas na bola, e fazia confronto equilibrado. A equipe da casa pouco se movimentava, e acordou somente pouco antes do intervalo, quando exerceu pressão, mas sem sucesso.

 

Esta era apenas uma prévia da pressão que o Vasco exerceria tão logo começou o segundo tempo. Com intensa movimentação, o trio ofensivo formado por Carlos Alberto, Robinho e Elton infernizou a vida do Guarani. Aos cinco minutos, os vascaínos pediram pênalti em cima de Robinho, e logo em seguida Carlos Alberto perdeu um gol em cima da linha.

 

Mas o capitão vascaíno não desistiu, e aos oito minutos criou uma bela jogada individual pelo meio e, na entrada da área, tocou para Elton. O atacante recebeu a bola frente a frente com Douglas e tocou para abrir o placar. Foi o 13º gol do atacante, que chegou à artilharia do Brasileirão da Série B e marcou pela oitava vez consecutiva.

 

Mesmo em desvantagem no placar e sem jogar bem, o Guarani ainda teve uma boa chance de marcar aos 23 minutos, quando Bruno Aguiar cobrou falta rasteira e exigiu grande defesa de Fernando Prass. Mas logo em seguida, o time de Campinas ficou em desvantagem por causa de uma infantilidade de Márcio Alemão, que simulou ter sofrido um pênalti e ainda reclamou do árbitro. Como resultado, foi expulso.

 

Este fato deu acomodação ao Vasco, que passou a dar espaços ao Guarani. A equipe visitante pressionou o adversário, motivando reações desesperadas do técnico Dorival Júnior e nervosismo da torcida. Foi então que o Vasco contou com grandes defesas de Fernando Prass, que segurou a vitória até o fim.