O advogado Marcelo Leonardo, que defende o empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, nega que haja uma negociação de delação premiada entre o Ministério Público Federal e o seu cliente. Uma reportagem publicada nesta segunda-feira na Folha de S.Paulo aponta que haveria uma negociação neste sentido.

Leonardo disse estranhar a divulgação da suposta existência de um acordo para que Valério, em troca de benefícios no cumprimento de pena, caso condenado, acrescente novas informações e documentos ao processo que investiga o suposto esquema do mensalão.

"Não tenho nenhuma informação sobre isso. Não participei de nenhuma reunião de negociação para fins de delação premiada", disse. "Sou o único advogado a defendê-lo na esfera criminal e não sei qual é a fonte que o jornalista (Frederico Vasconcelos, do jornal Folha de S.Paulo) tirou esta informação."

Marcelo Leonardo não quis comentar ainda as supostas agressões que Marcos Valério teria recebido por outros presos quando esteve detido no presídio de Tremembé, no interior de São Paulo.

A divulgação das agressões por Valério, segundo a reportagem da Folha, poderia ser uma das estratégias para facilitar o acordo da delação premiada com o Ministério Público Federal. "É uma opinião do jornalista, do repórter, e não tenho nada a falar sobre esse assunto", concluiu Leonardo.

A reportagem do Terra tentou falar com o MPF em Belo Horizonte, mas ninguém foi encontrado para comentar o assunto.