Assessoria Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Com o objetivo de auxiliar no cumprimento da Meta 2, a coordenadora do Projeto Integrar do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), juíza Maria Conceição da Silva Santos, comunicou que cerca de quarenta escrivães e oficiais de Justiça titulares do 1º grau, que atualmente se encontram lotados no 2º grau, terão de retornar a partir de amanhã (18) ao cargo de origem. O recrutamento oficial ocorreu na manhã desta quinta-feira (17), durante reunião realizada no Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL).

Para a coordenadora do programa Maria Conceição da Silva, também juíza auxiliar do CNJ, toda reorganização que está sendo feita no quadro de funcionários levará em conta a possibilidade de melhor dispor esses servidores a favor da Meta 2, que versa sobre o julgamento de todos os processos pendentes impetrados até 2005. “Devemos ter compromisso com a sociedade, sob pena de sermos comparados a políticos incompetentes. Precisamos trabalhar com empenho no cumprimento da Meta 2, para que possamos prestar serviço de qualidade à sociedade e melhorar a atenção ao Judiciário”, avaliou.

Inicialmente, cerca de quarenta servidores serão distribuídos entre as seguintes locações: 14ª e 15ª Vara Cível da Capital – Fazenda Municipal, 7ª, 8ª e 9ª Vara Criminal da Capital – Tribunal do Júri, Central de Penas Alternativas e o setor de Distribuição do Fórum da Capital. O trabalho será supervisionado pelo CNJ e coordenado por dois juízes do Estado. A previsão é de que sejam analisados 800 processos provenientes da Comarca de Teotônio Vilela.

“O objetivo é que esse grupo atue em locais onde há maior carência de saneamento processual. Dessa forma, esperamos desafogar a grande demanda de processos de 1º grau existentes hoje no Poder Judiciário de Alagoas”, concluiu.