Wadson Correia Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Agência dos Correios no Centro de Maceió.

São apenas dois dias de greve dos servidores dos Correios e os efeitos já começam a serem sentidos pela população alagoana. Nos depósitos da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, várias objetos para entregas já se acumulam. Em Alagoas, 500 mil encomendas são entregues diariamente.

A greve dos Correios foi deflagrada na última terça-feira (15). Devido o feriado estadual de ontem, apenas hoje pôde ser avaliada a dimensão da paralisação no Estado e ocorre nacionalmente.

O motivo da greve (já comum entre as diversas categorias dos servidores públicos no Brasil) é o reajuste salarial. A categoria reivindica um aumente de 41% nos salários. Além disso, eles reivindicam a aplicação do Plano de Cargos e Carreiras (PCC) e a realização de concurso público.

A primeira proposta da Empresa foi um reajuste de apenas 4%, que acabou sendo rejeitada pelos funcionários. Ontem, uma nova proposta foi lançada, de 9%, e será analisada pela categoria numa assembleia que acontece hoje, às 16h, que pode por fim a paralisação.

A agência dos Correios, localizada na Rua do Sol, Centro de Maceió, funciona normalmente, segundo Waltermir. Ele falou que a situação da greve deve piorar após a assembleia que acontece à tarde.