Ilustração Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O Natal deve abrir 123 mil vagas temporárias. Desse total, nos setores de comércio e de serviço, 33 mil deverão ser ocupadas por pessoas que nunca trabalharam. E entregar o currículo pessoalmente pode aumentar a chance de conquistar o primeiro chefe.

A gerente de loja Vilma Rita Rodrigues diz que o ideal é o candidato associar o gosto pessoal à função que vai desempenhar. “Se ele gosta, por exemplo, de calçados ele vai procurar uma loja de calçados”.

 

“O sorriso que ele vai dar, a forma como ele fala, como ele se porta, a desenvoltura dele já é um ponto no processo seletivo”, diz Vilma.

Alexandra Temponi, dona de loja, diz que o que conta para o primeiro emprego é ser uma pessoa com gás, alegre, com boa vontade, que demonstre iniciativa, dinamismo.

Pesquisas mostram que são dois os tipos de candidatos que disputam as vagas temporárias: os que querem apenas uma renda extra no fim do ano e os que estão dispostos a brigar por um emprego definitivo. Estes vão ter que se esforçar bastante. A estimativa é que apenas 17% permaneçam nas empresas.

Lorena Ingrid Ramos, auxiliar de loja, que conseguiu se efetivar em janeiro, aconselha: “Vai a um outro departamento, panfleta pra trazer clientes pra loja”.

De acordo com Karen Baptista, especialista em desenvolvimento pessoal e empresarial, desde que a pessoa fale a verdade sobre suas qualificações e esteja disposta para o trabalho, nenhuma empresa deixa de dar o emprego para ela só porque a carteira deixou de ser assinada.

A época é boa também para aposentados e para quem está desempregado há mais tempo.

Para papai noel, por exemplo, há muitas vagas. Tem candidato que deixa a barba crescer desde janeiro.

Segundo o recrutador de papai noel Leonardo Thomasi, tem que ter a famosa barriguinha, o carisma, gostar de criança, ser alegre e não tomar sol.