No primeiro semestre deste ano foram hospitalizados na Unidade de Emergência do Agreste 214 pacientes por tentativa de suicídio. Em 2007 foram notificados 368 casos de pacientes internados pela mesma causa e em 2008 o número foi de 429 casos.

Desde 2007, o Serviço de Epidemiologia Hospitalar (SEH) da Unidade de Emergência do Agreste registra os agravos de notificação compulsória, ou seja, acidentes de origem interna ou externa ao corpo que interferem na saúde do paciente.

De acordo com a coordenadora do SEH, Ana Lúcia Lima, o acompanhamento das estatísticas desses dados chamou a atenção para o crescente aumento dos casos de pacientes que deram entrada no hospital por tentativa de suicídio.

Os dados também revelam que as ocorrências são praticadas, na maioria, por mulheres, representando 72% dos casos; já os homens representam 28% das tentativas de suicídio. A faixa etária desses pacientes é entre 15 e 29 anos.

Segundo Ana Lúcia Lima, os medicamentos são o principal agente tóxico utilizado pelos pacientes que tentam suicídio, seguidos de raticida, agrotóxico e produtos de uso domiciliar, como água sanitária.

“Felizmente a evolução dos casos mostrou que 94% dos pacientes tiveram alta por cura. As notificações sinalizam para a necessidade dos gestores públicos organizarem os serviços de saúde mental, no sentido de oferecer o atendimento adequado à população para entender e evitar as tendências autodestrutivas da sociedade”, alertou.