Um ano depois do agravamento da crise internacional, os presidentes dos 25 maiores bancos centrais do mundo fecharam um acordo prevendo regras mais rígidas para a atuação de instituições financeiras. Ficou definido que bancos terão de cumprir exigências mais severas para fazer capitalização, além de reduzir o pagamento de bônus para executivos e passar por testes anuais de liquidez.

Os detalhes do acordo serão negociados até o fim do ano, mas é certo que os bancos passarão a operar dentro de limites bem mais rígidos que os atuais.


“O acordo é essencial pois estabelece um novo padrão para a regulação dos bancos e supervisão em um nível global", disse o presidente do BC Europeu, Jean Claude Trichet.