Com as atuais mudanças sofridas no comando dos vários órgãos de segurança pública no Estado, a Secretaria da Defesa Social, promoverá para a segunda quinzena de setembro, uma reunião para apresentar os novos membros natos do Gabinete de Gestão Integrada Estadual (GGI).

A decisão para retomada dos trabalhos do GGI aconteceu nesta quinta-feira (3), durante encontro entre os secretários Paulo Rubim, da Defesa Social; e Jardel Aderico, da Secretaria da Paz; e com o coronel PM Marcus Vinicius Ferreira Gomes, secretário geral do Gabinete de Gestão Integrada de Alagoas.

Paulo Rubim, que além de membro nato, também preside o GGI, na ausência do governador Teotonio Vilela, disse que além de apresentar os novos integrantes, esta reunião irá estabelecer temas convergentes entre o Estado e o Município de Maceió, que também possui um GGI. As perspectivas e desafios do GGI na gestão de segurança pública com cidadania também serão os primeiros assuntos a serem debatidos no encontro.

“São não reuniões do GGI, que se discutem a elaboração de novos projetos para o combate a criminalidade por meio de ações sociais dentro das comunidades consideradas mais violentas, foi assim com a escolha e implantação dos Territórios de Paz em Maceió. No GGI, discutimos as ideias de forma democrática, não há votação, apenas entramos em um consenso da melhor solução para o problema em loco”, afirmou Rubim.

Para o coronel PM Marcus Vinicius a próxima reunião servirá também para expor os propósitos debatidos durante o Encontro Nacional dos Gabinetes de Gestão Integrada do Brasil, acontecido em Brasília (DF), no mês passado.

“Durante este encontro nacional, percebemos que ainda falta um entendimento mais claro por parte dos membros, sobre o que é o GGI e como ele deve funcionar”, esclareceu o secretário, acrescentando que também durante o encontro, foi decidido que será implementado indicadores nacionais para a avaliação dos GGIs, e que eles serão determinantes para a aprovação dos projetos.

“A avaliação será feita através de pontuação do funcionamento do GGI. Serão avaliados a quantidade de reuniões realizadas anualmente, a sua qualidade e das demandas deliberadas e aprovadas. Quem perde pontos, tem os recursos do Pronasci e do Fundo Nacional de Segurança Pública, reduzidos”, afirmou cel. Vinicius.

Na mesma reunião, será oferecida uma cadeira de membro convidado, para a Secretaria de Estado da Paz, que deverá ser ocupada pelo próprio secretário, Jardel Aderico. “A nossa participação será na elaboração de um projeto de assessoramento, que ajudará as demais secretarias, a desobstruir e agilizar o andamento dos projetos aprovados pelo GGI no Estado. Muitas vezes por um pequeno detalhe, como a falta de um documento, o projeto fica parado por meses, iremos trabalhar de forma articulada para que isso não ocorra”, adiantou Jardel.

Fazem parte do GGI, representantes das polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Federal, Rodoviária Federal, Secretaria de Defesa Social, Centro de Pericias Forense, Tribunal de Justiça, Procuradoria Geral de Justiça e da Secretaria Nacional de Segurança. Participam também das reuniões como membros convidados, representantes da Justiça Federal, da Assembleia Legislativa, Ordem dos Advogados de Alagoas (OAB), Associação dos Magistrados, Associação Brasileira de Inteligência (ABIM), Secretaria da Mulher, Conselho Estadual de Segurança, da Guarda Municipal e, do Exercito, Marinha e Aeronáutica.

O GGI é um fórum deliberativo e executivo que atua em harmonia e sem hierarquia, respeitando autonomia das instituições que o compõem. É também através do GGI, que os estados, por meio de projetos para enfrentamento da violência, solicitam recursos para o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) do Ministério da Justiça, que dispõe de um orçamento de R$ 6 bilhões previstos até 2011 para investimentos em programas sociais.