“Nossa intenção com a visita é dizer à presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) que estamos juntos com o Poder Judiciário alagoano na luta contra o mal. Nossas igrejas estão em constante oração para que as decisões da Justiça sejam sábias e iluminadas”, explicou o deputado estadual Pastor João Carlos, ao se reunir, com mais 25 pastores de diversas igrejas evangélicas de todo o Estado, na tarde da última quarta-feira (02), com a presidente do TJ, desembargadora Elisabeth Carvalho Nascimento.

De acordo com os depoimentos dos líderes religiosos, aproximadamente 20 mil fiéis estão em constante oração pela cúpula diretiva do TJ/AL, em face das difíceis e polêmicas decisões tomadas pelos integrantes do Judiciário alagoano nos últimos meses. “Nós cuidamos das almas de milhares de pessoas e lutamos diariamente contra problemas como as drogas, casamentos destruídos, filhos sem amor. Lutamos também contra a desigualdade social, mas não fazemos política em nossos templos, apenas oramos pelo nosso povo, pelas nossas lideranças e pelo nosso Estado”, afirmou um pastor presente ao encontro.

Para a presidente do TJ/AL, desembargadora Elisabeth Carvalho Nascimento, a visita foi muito importante por ela ter tomado conhecimento que milhares de pessoas estão juntos com a Justiça alagoana orando para que as decisões e sentenças sejam tomadas com a maior lucidez possível.

A desembargadora-presidente ressaltou que tem o hábito de ler a Bíblia diariamente e que “tenho ciência que a minha missão é muito árdua e difícil, pois não é fácil conduzir os caminhos de um Poder em Alagoas. Às vezes me sinto um pouco fisicamente isolada, tomando decisões que dizem respeito à toda a sociedade, mas fiquei bastante emocionada em saber que tanta gente ora e torce pelo nosso trabalho”.

Após uma breve leitura de um trecho bíblico, os pastores, juntamente com a presidente do TJ/AL, fizeram uma oração. A desembargadora Elisabeth Carvalho ainda foi agraciada com um exemplar da Bíblia Sagrada, “para ajudá-la nos momentos mais difíceis”, enfatizou o deputado Pastor João Carlos. O mesmo grupo de religiosos já visitou o procurador-chefe do Ministério Público Estadual, Eduardo Tavares Mendes, para também solidarizar-se com suas ações.