Arquivo da família 1251833006andra barrosjpg André Barros

Quatro pessoas foram ouvidas hoje, na 9ª Vara Criminal, pelo juiz Geraldo Amorim, na primeira audiência do processo sobre o acidente automobilísitco que vitimou o agente da Polícia Federal, André Barros, no  dia 24 de maio. De acordo com o magistrado, em uma nova audiência, que deverá ocorrer na próxima semana, a promotora Salete Adorno, que esteve no local do acidente, será ouvida, bem como Rafael Teixeira, que provocou o acidente.

“Vamos marcar uma nova data, quando também deveremos receber documentos sobre o caso”, disse Amorim a reportagem do CadaMinuto.

Acidente

O policial federal André Barros conduzia o Prisma preto, de placa NLX-5188, na Avenida Nelson Marinho de Araújo, no Murilópolis, quando foi atingido pela caminhonete Ranger, de placa MUV-3802, conduzida por Rafael Teixeira. Barros morreu no local do acidente e Teixeira foi socorrido para a Santa Casa, onde permaneceu alguns dias internado até ser conduzido para o 7º Distrito Policial, de onde foi transferido para o Sistema Prisional.

Teixeira, que dirigia embriagado e sem carteira de habilitação, foi indiciado pelo delegado Fernando Tenório por homicídio doloso, onde se tem culpa e intenção de matar. Beneficiado pelo mutirão carcerário, Teixeira foi solto no mês de julho e responde ao processo em liberdade.