Com a confirmação de 4.931 casos de gripe suína e 195 mortes ocorridas entre 14 de julho e 29 de agosto, as secretarias Estaduais da Saúde e da Administração do Paraná decidiram, nesta segunda-feira,prorrogar até o dia 14, o afastamento do trabalho das servidoras públicas estaduais gestantes. Do total de casos confirmados no Estado, 285 são de grávidas, dos quais 20 morreram.

A medida, uma ação de prevenção à doença, estava em vigência desde o último dia 20 com prazo final até esta segunda. A recomendação é que as instituições privadas adotem medida semelhante a do governo estadual.

Na recomendação conjunta, consta ainda a explicação de que em estudos científicos disponíveis, as gestantes continuam a apresentar o maior risco de desenvolver complicações quando infectadas pelo vírus Influenza A (H1N1).

No boletim epidemiológico divulgado na noite de hoje, as regiões de Curitiba (2.170), Cascavel (354) e Londrina (314) lideram os registros de casos confirmados.