Agência Alagoas

O número de homicídios diminuiu na capital alagoana de janeiro a junho deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com a Diretoria de Estatística e Informática da Polícia Civil de Alagoas (Deinfo), Maceió registrou 422 homicídios nos seis primeiros meses do ano, contra 585 nos seis primeiros meses de 2008. Todos os casos registrados estão com inquérito instaurado, conforme a delegada Lucy Mônica, responsável pela Deinfo.

Os dados foram apresentados ao Conselho Estadual de Segurança Pública, durante a reunião do colegiado na manhã desta segunda-feira (31), na Sala dos Conselhos do Palácio Floriano Peixoto.

Para a delegada Lucy Mônica, a queda ainda é sensível, mas é uma realidade. “Nosso próximo passo é acompanhar de perto o andamento dos inquéritos”.

Unificação — A Diretora de Estatística e Informática da Polícia Civil de Alagoas também falou da necessidade de as estatísticas das secretarias e órgãos públicos alagoanos serem unificadas. Na avaliação da delegada, os números sobre homicídios no Estado muitas vezes não traduzem a realidade por conta de alguns fatores, tais como problemas enfrentados na análise criminal, o fato de a mesma vítima ser apresentada com nomes e procedências diferentes e as vítimas não serem devidamente identificadas.

“Essas pequenas falhas precisam ser consertadas para o trabalho da segurança pública em Alagoas ser o mais produtivo possível. Para ser ter uma idéia, nossos cadastros do Sistema de Informação da Polícia Civil recebem cerca de 14 cadáveres por mês sem identificação. Essa falta de informação retarda a instauração de inquérito, por exemplo”.

O presidente do Conselho Estadual de Segurança Pública, Delson Lyra, afirmou que o Conselho irá se esforçar para ajudar nessa interação para que, a médio prazo, a atuação seja qualificada.

A diretora de Estatística e Informática da Polícia Civil de Alagoas, delegada Lucy Mônica, antecipou que no próximo mês de outubro 120 policiais civis estarão participando de um curso de aperfeiçoamento do Sispol/Web/Infoseg, onde receberão noções de direito e informática básicas para otimizar o recebimento e a atualização dos dados da Polícia Civil.

“Assumimos a diretoria em abril do ano passado e desde então estamos nos esforçando para que os dados estatísticos sejam os mais próximos possíveis da realidade para que o trabalho da Polícia Civil possa atender à realidade dos crimes no Estado. Somente a partir daí, as ações serão ainda mais eficazes”, explicou a delegada Lucy Mônica.