O futebol de Alagoas está em estado de graça. A vitória do ASA (3x2) sobre o Icasa, de virada, na casa do adversário, coloca o estado na decisão de uma competição nacional 26 anos após o CSA chegar a uma final e não lograr êxito.
A história que o ASA está escrevendo é digna dos maiores elogios e está repleta de lances bonitos, conquistas memoráveis e com a abertura de um enorme espaço na imprensa brasileira. Chegar à final do Brasileiro da Série C é um marco tão importante quanto à conquista da vaga para a Série B em 2010.
Os arapiraquenses podem comemorar do jeito que quiser, pois as conquistas representam um momento para não ser esquecido nunca mais.
Repetindo as demais façanhas, de decidir fora de casa e obter sucesso, o ASA se agigantou contra o Icasa, no Romeirão lotado neste domingo, sendo que o time cearense estava até então com a melhor campanha da Série C. E por ironia do destino, o time alagoano vai enfrentar o América Mineiro, que agora tem a melhor campanha da competição e que, por isso, deve fazer o segundo jogo em casa, no Estádio Independência.
O time de Minas, que está de volta à Série B, desbancou o favorito Guaratinguetá nas penalidades máximas e conta com o bom futebol do alagoano Flávio, goleiro revelado no CSA e que é titular absoluto desde quanto aportou em Belo Horizonte.
De toda forma, seja onde for a decisão, o ASA entra em condições de igualdade. E o sonho de ser campeão brasileiro é real e cristalino.
Vamos em frente ASA Gigante. Alagoas toda está torcendo por você, pela forma honrosa como tem representado o seu futebol, recolocando-o em destaque no cenário nacional.
Com todo respeito aos méritos de seus jogadores, do técnico Vica e pela forma correta como o clube tem sido administrado.

DOIS TOQUES

• A boa atuação do ASA na decisão com os cearenses valeu a inclusão de quatro jogadores do Alvinegro e mais o técnico Vica na Seleção da Série C, feita pelo site Futebol Interior. Figuram na Seleção o goleiro Tuti, o lateral Didira e os meias atacantes Fábio Lopes e Rodriguinho.
• O bom goleiro Jéferson está sendo vítima da má administração do CSA e da falta de respeito com os profissionais da bola. Em desabafo ao portal Futebol Alagoano, deixou nas entrelinhas que não pretende acionar o clube na Justiça, embora reconheça que não pretende usar esta via. Jéferson garante que não mais atuará em clubes alagoanos.