Mais uma vez o homossexualismo vai colocar parlamentares de esquerda e as bancadas religiosas em campos opostos no Congresso. A Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara aprovou por unanimidade o “Estatuto das Famílias”, com modificações feitas pelo deputado Padre José Linhares (PP-CE) para excluir o reconhecimento da união entre duas pessoas do mesmo sexo como “entidade familiar”. Na mesma quinta-feira passada (26), o autor do projeto começou a articular a retomada do texto original na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

O relator mais provável é José Genoino (PT-SP), que solicitou a tarefa na comissão. Na CCJ, os petistas acreditam que conseguirão reverter o texto. Mas as bancadas católica e evangélica certamente conseguirão levar os projeto ao plenário da Câmara, para evitar que, aprovado na CCJ, siga diretamente para o Senado. "Nossa luta é manter o texto", diz o deputado católico Miguel Martini (PHS-MG).