Cortesia PM/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Edmo Santana

 

A Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Alagoas (OAB/AL) vai requerer a habilitação como assistente no processo que o empresário Edmo Santana irá responder pela morte do advogado Daniel Araújo Monteiro, em uma colisão no começo deste mês. O pedido para participação da Ordem foi feito nesta quarta-feira (11) pelo irmão da vítima, o advogado Luiz Geraldo Monteiro.

Thiago Bomfim, presidente da OAB/AL, disse classificou o caso de bastante atípico e transcende qualquer normalidade.  “A OAB entende que essa é uma questão social e deve se manifestar para que casos como este que vitimou o Daniel, não voltem mais a acontecer. O outro fato é que, trata-se de um advogado e a partir do momento em que houve o indiciamento por homicídio doloso, para a Ordem trata-se de um crime cometido contra um de seus membros”, afirmou.

O presidente da OAB Alagoas frisou que esse acompanhamento não tem como objetivo realizar qualquer tipo de justiçamento ou linchamento moral no acusado do crime. “Queremos que a Justiça seja cumprida, da forma que ela deve ser. Nem para mais e nem para menos. A medida para esse caso deve ser a da Lei”, completou, acrescentando que o pedido será encaminhado a Justiça.

O advogado Luiz Geraldo disse que a participação da OAB no caso é muito importante para a família. “Faço parte de uma família de advogados e viemos pedir esse apoio por entender que se trata de uma questão que envolve um membro da classe e também social. Meu irmão era uma pessoa de bem, que seguia as normais sociais e foi vítima de uma pessoa que justamente infringiu as leis”, colocou.

Daniel Monteiro morreu no dia 1º de fevereiro, na antiga Avenida Amélia Rosa, após ter seu carro atingido pelo veículo conduzido em alta velocidade pelo empresário Edmo Santana, que apresentava sinais de embriaguez.