Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Modelo Eric Ferraz foi morto a tiros em festa de réveillon

O Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) deve julgar nesta terça-feira (10), a revisão criminal interposta em favor do policial civil Jaysley Leite de Oliveira, acusado pelo homicídio do modelo Eric Ferraz, durante uma festa de réveillon, em 2012, em Viçosa. O réu pretende que seja revertida sua pronúncia pelo crime, para não ser levado a júri popular.

Segundo divulgou a assessoria de Comunicação do TJ/AL, a defesa alega que não existem no processo indícios suficientes de autoria ou de participação de Jaysley, e que Judarley Leite de Oliveira, irmão do policial, confessou o crime, afirmando Jaysley é inocente.

A revisão também menciona a ocorrência de nulidade do processo devido a suspeição do magistrado que pronunciou ou réu. Segundo a defesa, o juiz demonstrou o desejo de decidir pela pronúncia durante a instrução processual.

O crime

No dia 01de janeiro de 2012, Erick Ferraz, que era natural de Marechal Deodoro, estava na festa de réveillon com a namorada, quando uma discussão entre ele e os irmãos Jaisley e Judarley Oliveira terminou no assassinato do modelo a tiros.

Na ocasião, testemunhas afirmaram que Judarley teria sido o autor dos disparos, utilizando a pistola do irmão, Jaisley. Ao ser preso, oito meses após o homicídio, Judarley inocentou o irmão, que já estava detido.

O caso gerou polêmica também devido a uma falha do do Instituto Médico Legal (IML), que liberou o corpo de Erick para sepultamento sem a retirada das balas. Uma semana após o enterro, a justiça autorizou a exumação do corpo.