A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) negou, por unanimidade, o pedido de desaforamento do julgamento do réu Akle Henrique de Lima Santos, acusado de tentativa de homicídio. Com isso, o júri deve ser realizado em São Sebastião.

De acordo com o relator do processo, desembargador João Luiz Azevedo Lessa, a imparcialidade do Conselho de Sentença de São Sebastião não estaria comprometida, um vez que não foram apresentadas pelo Ministério Público Estadual (MPE) razões que possam afetar a decisão dos jurados.

O desembargador esclareceu que o pedido de desaforamento é concedido apenas mediante perigo da ordem pública, da segurança do réu ou quando há dúvidas acerca da imparcialidade do júri, requisito que, segundo ele, deve ter fundamento.

O órgão ministerial argumentou que o irmão de Akle Henrique foi candidato a prefeito nas eleições de 2012 e, em razão disso, possui influência entre a população de São Sebastião, podendo comprometer a imparcialidade do julgamento. No entanto, o desembargador entendeu que a alegação do MP/AL não é justificável para que o julgamento seja transferido para outra Comarca.

 “Em relação ao vasto histórico de que o réu possui grande influência no meio social no município, observo que esse ponto também não serve para amparar o desaforamento do julgamento em tela”, sustentou o desembargador.