As aulas do segundo semestre voltaram, e agora não tem mais jeito. O Enem já está batendo à porta. A fim de preparar os alunos da melhor maneira possível para uma prova remodelada, vale tudo: antecipar prova, dar aula extra à tarde e aos sábados, remodelar o currículo da escola e realizar simulados. Muitos simulados.

Das 12 escolas particulares da capital contatadas pela reportagem, apenas uma não tem simulados para o Enem. Adotam a tática o Agostiniano Mendel, o Etapa, o Vértice, o Bandeirantes, o Stockler, o Humboldt, o Santo Américo, o Santa Maria, o Vera Cruz, o Dante Alighieri e o Global.

A exceção é o colégio Santa Cruz, quarto colocado nas edições 2007 e 2008 do Enem no ranking das escolas particulares da capital. Para Marina Nunes, orientadora educacional do terceiro ano, "o bom resultado é uma consequência dos três anos de ensino médio".

Já no Vértice, primeiro do ranking do Enem em 2008, as provas do terceiro bimestre foram antecipadas, deixando três semanas para o que o diretor da escola, o professor Adilson Garcia, chamou de "sintonia fina" para o Enem. Serão aulas voltadas para o exame de outubro, cujo resultado comporá a nota dos alunos no quarto bimestre.

A tarefa de manter a posição no ranking pode deixar alguns alunos de cabelos em pé, mas, afirma Garcia, não é a preocupação do colégio. "Dizemos aos alunos: 'Que ótimo se vocês conseguirem manter o ranking, mas não vamos transformar isso numa paranoia".

No Etapa, o quinto colocado entre as particulares, a tática para enfrentar o novo Enem foi terminar de passar o conteúdo já no primeiro semestre e, agora, focar as aulas em revisões.

No ano passado, diz o coordenador, Edmilson Motta, nesta época, os alunos tinham dois dias de período integral. Neste ano, os alunos do terceiro ano ficam todos os dias de manhã e de tarde no colégio. Motta enumera três razões para o aumento na carga horária: alterações no vestibular, novo Enem e reposição de aulas devido à gripe.

No Santa Maria, o 11º mais bem colocado no exame nacional de 2008 entre as particulares da capital, o novo Enem traz mudanças em duas frentes.

A primeira, imediata, é a preparação deste ano com a orientação a professores, aulas especiais e realização de simulados. Já a segunda, mais profunda, é o replanejamento das disciplinas do ensino médio de acordo com as quatro competências exigidas no exame -ciências da natureza, ciência humanas, linguagens e matemática.

No Stockler, que passou do 25º lugar no ranking das particulares de 2007 para o sétimo em 2008, há até um "Projeto Enem", composto de aulas à tarde, material específico e simulados aos sábados.

Os alunos se deparam com questões do Enem a partir do segundo ano, o que, segundo o diretor, Almir Bunduki, dá mais segurança na prova.

O colégio Santo Américo, o 10º em 2008, também aposta nos simulados. "O Enem incorpora novos conteúdos, tem um novo formato. É importante treinar para isso", diz Miguel Augusto Arruda, coordenador do ensino médio.

A escola oferece ainda um curso pré-vestibular à tarde para os alunos, mas, para conseguir uma boa preparação para o Enem, as aulas específicas também foram incorporadas à grade obrigatória.

O Bandeirantes contratou a Fundação Carlos Chagas, especializada em concursos, para elaborar o simulado nos moldes das questões do Enem.