A Justiça decretou que a greve dos servidores da Educação foi considerada ilegal. A decisão é da juíza Esther Manso. Segundo Girlene Lázaro, presidente do Sindicato dos Servidores de Educação em Alagoas (Sinteal), a categoria tomou conhecimento da ilegalidade da paralisação por meio da imprensa.

"A imprensa que nos disse. Amanhã, quando recebermos a comunicação oficial, iremos reunir a diretoria e ver quais as medidas legais que podem ser tomadas", disse Girlene a reportagem do CadaMinuto.

A magistrada determinou a volta imediata dos servidores ao trabalho, sob pena de aplicação de multa em caso de não cumprimento.