Termina no próximo dia 30 o prazo para os plantadores de cana-de-açúcar do nordeste solicitarem a compensação do Governo Federal que visa diminuir as perdas da safra 2008/2009. O pagamento da subvenção estava suspenso desde 2001 e foi reativado no ano passado depois do setor sucroalcooleiro amargar uma brusca queda no preço do açúcar e etanol.

Em Alagoas um técnico da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) está instalado na Cooperativa de Crédito Rural dos Plantadores de Cana de Alagoas (Coplan), com sede em Maceió no bairro de Jaraguá. O técnico está orientando os produtores na liberação do recurso. De acordo com o presidente da Coplan, Fernando Rossiter, qualquer plantador de cana que processou sua produção de setembro de 2008 a janeiro deste ano tem direito de receber uma compensação de até R$ 5,00 por tonelada.

Fernando Rossiter reforçou ainda que não é necessário que o produtor seja cooperado da Coplan, basta comprovar a venda da cana-de-açúcar, munido de nota fiscal, para solicitar o subsídio. “Pouquíssimos produtores de Alagoas deixaram para última hora. A primeira etapa da subvenção, que foi até dezembro, atendeu a 80% dos plantadores. A Conab deve disponibilizar um montante de R$ 40 milhões para o Estado”, destacou.

A subvenção foi pleiteada por produtores da cana-de-açúcar de todo o nordeste na tentativa de reaver as perdas com a baixa cotação da matéria do açúcar e etanol produzido no Brasil. O Governo Federal através do Ministério da Agricultura estabeleceu o preço mínimo de R$ 42,92 por tonelada de cana. Segundo o presidente da Coplan, o valor estabelecido pelo governo ainda não corresponde ao custo real de produção.

“Mesmo com a compensação os produtores não conseguiram cobrir os custos. Na última safra os plantadores de cana enfrentaram dificuldades, principalmente com relação ao pagamento por parte das usinas, isso desestabilizou o mercado. Mas para quem está em dificuldade toda ajuda é bem vinda”, destacou.