Saiba os efeitos da disposição e descarte inadequados de resíduos

  • Agência Brasil
  • 28/08/2014 20:00
  • Negócios

Os problemas gerados pelo descarte inadequado de lixo são muitos e, geralmente, visíveis. Na maioria dos casos, eles se configuram como agressões ambientais e até como uma questão sanitária que coloca em risco à saúde pública. O fato mais surpreendente é que, justamente quem mais sofre e reclama com a sujeira, também é responsável por provocá-la.

Por isso, a Superintendência de Limpeza Urbana de Maceió (Slum) apresenta uma série de situações provocadas pelo descarte inadequado e também pela disposição incorreta de resíduos para que todos possam visualizar os problemas gerados por nós mesmos.

Dessa forma, a Slum espera que o cidadão possa despertar a consciência ambiental e para que pense duas vezes antes de jogar papel em vias públicas, de dispor os sacos de lixo fora do horário da coleta e até mesmo de lançá-los em terrenos, praças, esquinas e áreas verdes. Lembre-se: quando o assunto é limpeza urbana, a responsabilidade é de todos.

Sujeira nas ruas
O papel do picolé, a latinha do refrigerante e o embrulho do presente quando descartados em vias públicas, praças e terrenos afetam a higiene do ambiente e tornam tudo mais sujo. Portanto, caso você gere algum lixo de pequeno volume, carregue consigo até a lixeira mais próxima e faça o descarte de modo correto.

Poluição ambiental
A natureza é uma das principais vítimas do descarte inadequado de resíduos. Rios, riachos, córregos, canais e lagoas e todos os seus ecossistemas sofrem com a poluição causada pelo acúmulo e descarte inadequado de lixo.

Obstrução do passeio público
Restos de reforma e sobras da construção civil dispostos em calçadas e vias atrapalham a circulação em vias públicas, retraindo o trânsito, além de afetar o passeio de pedestres e ciclistas.

Poluição visual
Sacos de lixo dispostos fora da lixeira, resíduos de construção civil depositados inadequadamente e o material descartado em vias públicas acumulam sujeira e formam um cenário que ninguém gosta de ver e conviver.

Contaminação do solo e dos lençóis freáticos
Quando descartados de modo inadequado, determinados tipos de resíduos provenientes de estabelecimentos comerciais, industriais e unidades de saúde infiltram pelo solo e podem contaminar a terra e os lençóis freáticos que abastecem as bacias hidrográficas, poluindo o meio ambiente, além da água que consumimos cotidianamente.

Alagamentos e inundações em períodos de chuva
Um simples papel jogado em vias públicas pode entupir galerias de águas pluviais, que servem para escoar a água da chuva. Uma vez obstruídas, por acúmulo de lixo descartado nas ruas, elas impedem a passagem da água que retorna e provoca alagamentos e inundações.

Diminuição da vida útil do aterro sanitário
Quanto mais lixo geramos, mais lixo chega ao aterro sanitário, que encurta a sua vida útil.

Proliferação de endemias
O acúmulo de resíduo em terrenos ou armazenados de modo inapropriado podem gerar a proliferação de pragas e vetores de endemias e colocar em risco a saúde pública

Prejuízos ao turismo local
Uma cidade com o aspecto sujo não atrai turistas. Quem visita a nossa cidade quer encontrar um lugar limpo e digno das belezas naturais que temos a oferecer.

Aumento dos gastos públicos com limpeza urbana
Quanto mais o cidadão promove o descarte inadequado, mais aumentam os custos com a limpeza. Um recurso que poderia ser utilizado para educação, saúde, cultura e outras áreas da gestão pública.