A superintendência do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) promoveu junto aos movimentos sociais, em Maragogi, até sexta-feira (21) o I Seminário PAA- Desafios e Possibilidades- que teve como objetivo desencadear apoio para a comercialização dos produtos agrícolas cultivados nos assentamentos.

 

Em dois dias de discussões e apresentação de planos para as famílias agricultoras, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) também anunciou, para breve, a instalação de um posto para a compra de farinha de mandioca e feijão com preços acessíveis e garantia de qualidade.

 

Além de proporcionar a venda da produção agrícola, o programa também tem o propósito de articular a doação de alguns alimentos para entidades sócio-assistenciais com registro de pessoas carentes de uma alimentação nutritiva ou saudável.

 

Pelo programa, outra parte dos alimentos é destinada à recomposição dos estoques estratégicos do Governo Federal e ele é implementado por meio de convênio a ser formalizado entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e as prefeituras ou governos dos Estados. Outra alternativa é o acordo entre a Conab e a entidade beneficiária.

 

Marcaram presença no encontro o superintendente do Incra em Alagoas, Gilberto Coutinho, o Chefe da Divisão de Desenvolvimento do Incra/AL, Estevão Oliveira, o engenheiro agrônomo Renato Caixeta, articulador nacional do PAA, o superintendente da Conab/AL, Elizeu Rêgo, representantes das empresas de assistência técnica, movimentos dos trabalhadores rurais, secretários municipais de agricultura, agricultores familiares, e a sociedade civil organizada.

 

A exemplo de Maragogi, o Incra também realizará seminários e oficinas para os produtores da agricultura familiar sobre o PAA na zona da Mata, no Sertão, no Agreste e no Complexo Agrisa/Peixe, em Joaquim Gomes, sob a coordenação dos técnicos do Incra Alessandra Márcia Costa e Nilson Macário.