A secretária municipal do Trabalho, Abastecimento e Economia Solidária, Solange Jurema, esteve reunida, nesta quinta-feira (27), com o diretor de staff da Almaviva do Brasil, Carlo Ruggeri, e com a consultora da empresa em Alagoas, Cláudia Melo. Eles conversaram sobre o andamento da implantação da segunda sede da empresa em Maceió, no Tabuleiro do Martins, parte alta da cidade.

O encontro aconteceu na sede da Secretaria Municipal do Trabalho, Abastecimento e Economia Solidária (Semtabes), no Centro. Os representantes da Almaviva do Brasil falaram sobre o andamento da implantação de sua segunda sede, uma área de 10 mil metros quadrados, com a qual a empresa deve chegar, em Maceió, à marca de 5 mil empregos até o início do próximo ano, com a maioria das vagas destinadas, prioritariamente, a jovens em busca do primeiro emprego.

Foi a secretária, inclusive, quem fez os contatos iniciais para a instalação da Almaviva do Brasil em Maceió com os representantes da empresa, em maio do ano passado. Procurada por diretores da Almaviva do Brasil, Solange Jurema intermediou reuniões entre os representantes da empresa e o governo do Estado, que cedeu o terreno para a instalação da empresa.

A primeira sede da empresa, atualmente no bairro de Serraria, já está em funcionamento e gerou, inicialmente, 517 empregos diretos em Maceió, no início deste ano. No último dia 16 de janeiro, a unidade da empresa recebeu a visita do prefeito Rui Palmeira.

A maioria dos trabalhadores, dos quais a empresa já assinou as Carteiras de Trabalho, é de jovens no primeiro emprego e moradores da parte alta de Maceió – público-alvo do programa Juventude Viva, que celebra a promoção e ampliação dos direitos e prevenção da violência contra jovens negros entre 19 e 29 anos de idade.

Almaviva

A Almaviva é uma empresa integrante do grupo multinacional italiano Almaviva, um dos maiores do mundo na área de contact center e informática. A instalação da empresa em Maceió foi confirmada no início do mês de setembro pelo vice-presidente da Almaviva do Brasil, Giulio Salomone, à coluna Mercado Aberto, do jornal Folha de São Paulo.

Segundo Salomone, além de Maceió, a empresa italiana também vai se instalar em Teresina (PI) neste ano. No total, o aporte para a instalação nos dois municípios, que deverá ser concluído em 18 meses, ficará entre R$ 70 milhões e R$ 100 milhões. O grupo já investiu mais de R$ 120 milhões no Brasil. A companhia conta com call-centers em São Paulo (SP), Aracaju (SE), Juiz de Fora (MG) e Belo Horizonte (MG), que empregam milhares de funcionários.

No último dia 1º de agosto, no Palácio República dos Palmares, o prefeito Rui Palmeira, o governador Teotonio Vilela e representantes da empresa assinaram o termo de compromisso para garantir a instalação do call center em Maceió. Para viabilizar o empreendimento no município, a Prefeitura de Maceió concederá incentivos fiscais – de acordo com a legislação. O governo do Estado cedeu o terreno para a segunda etapa de instalação da empresa.