Começa na próxima segunda-feira (23) e prossegue até o dia 3 de abril a primeira fiscalização técnica e comercial do ano realizada na sede da Companhia Energética de Alagoas (Ceal), nas subestações e agências de atendimento em todo o Estado. A fiscalização será realizada por técnicos da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e da Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Alagoas (Arsal).

Durante a fiscalização, serão verificados tópicos como: tempo de atendimento ao cliente; faturamento; call center; qualidade do fornecimento de energia, entre outros.

O convênio entre a Aneel e a Arsal delega à agência reguladora às atividades de fiscalização dos serviços de eletricidade, geração e relações institucionais. O convênio estava suspenso em 2008 e foi retomado neste mês de março. O diretor-presidente da Arsal, Waldo Wanderley, afirmou que a agência tem atuado para melhorar a qualidade do atendimento ao consumidor e os indicadores de qualidade do fornecimento de energia elétrica pela Ceal.

“Antes da Arsal, cada unidade consumidora permanecia, em média, 35 horas por ano sem energia. Em 2007 esse número foi reduzido para 21 horas. A freqüência média anual era de 26 interrupções no fornecimento de energia para cada consumidor, número que caiu para 17 interrupções em 2007”, acrescenta Valter Leandro, coordenador de Energia da Arsal.

Resultados

A fiscalização, que começa na próxima segunda-feira, às 14h30, na sede da Ceal, acontece simultaneamente no prédio principal na companhia, nas subestações e agências de atendimento e contará com a participação de sete engenheiros, sendo dois da Aneel e cinco da Arsal, e seis consultores da Agência Nacional.

“A finalidade desta fiscalização é garantir a prestação de um serviço de maior qualidade para os consumidores de todo o Estado”, destacou Jozenilda Cavalcanti, assessora técnica da área de fiscalização de energia da Arsal.

Caso queira registrar sugestões, críticas ou denúncias acerca dos serviços prestados, o consumidor de energia elétrica deve procurar primeiramente a Ceal. Somente caso a concessionária não solucione o problema ou apresente uma solução que não satisfaça o consumidor, ele deve entrar em contato com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), por meio do telefone de discagem gratuita 144