O Ministério da Educação recebe até o 21 de setembro propostas de aplicativos educativos paratablets. O aplicativo deve ser totalmente gratuito para o usuário, funcionar no sistema operacional Android 4.0 e ficar hospedado na loja virtual Google Play. O objetivo é enriquecer o currículo dos alunos e contribuir para a formação continuada dos professores.

Segundo as regras do edital, os aplicativos inscritos devem estar redigidos em língua portuguesa, ou traduzidos para o português do Brasil. Também serão aceitos aplicativos educativos nos idiomas inglês e espanhol, desde que sejam de cursos dos respectivos idiomas.

Os aplicativos podem ser desenvolvidos para quatro áreas diferentes. A primeira delas é enriquecimento curricular, voltada para as diferentes etapas da educação básica. Há também duas áreas voltadas para a capacitação dos professores e uma área para desenvolver aplicativos acessíveis para alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades (estudantes superdotados).

As propostas serão analisadas a partir do dia 23. Os resultados serão publicados no Diário Oficial da União no dia 22 de novembro. O prazo para recursos vai de 25 de novembro a 2 de dezembro. Os resultados finais sairão em 10 de dezembro.

As propostas deverão ser enviadas pelo correio junto com os formulários preenchidos, em envelopes lacrados, para o Laboratório de Tecnologias da Informação e Mídias Educacionais (Labtime), da Universidade Federal de Goiás (UFG), Caixa Postal 24.248, CEP 74.690-970, Goiânia - GO.