De 16 a 20 de agosto, o Procon/AL realiza o treinamento para os jovens multiplicadores e coordenadores pedagógicos participantes do Procon Comunitário. O projeto é financiado pelo Ministério da Justiça através Pronasci. O curso vai ser realizado no Sesc Guaxuma, das 8h30 às 17h30, e ministrado por membros da própria equipe do projeto, dirigente do órgão e de integrantes da Escola Nacional do Direito do Consumidor do Ministério da Justiça.

Ao todo vão participar 100 pessoas, sendo 80 jovens multiplicadores (na faixa etária de 15 a 23 anos) de escolas públicas estaduais, da capital e interior, e 20 coordenadores pedagógicos. Dos alunos selecionados, apenas 40 vão ficar trabalhando nos 20 postos escolhidos em todo o Estado e os demais ficarão em cadastro de reserva. “Além de adquirir conhecimento sobre Direitos do Consumidor, estes estudantes vão ter a oportunidade de ter o primeiro emprego e receber uma bolsa auxílio de R$ 150”, ressalta a coordenadora executiva do Procon Comunitário, Ivana Rizzo. Já os coordenadores pedagógicos das escolas selecionadas vão ser capacitados para trabalhar a educação para o consumo, como tema transversal dentro da grade curricular, com o corpo docente das escolas.

O Procon Comunitário vai atuar em 12 cidades do interior do Estado. “Nosso objetivo é atingir os 102 municípios alagoanos. Cada cidade polo abrangerá as cidades circunvizinhas. Isso será possível através do ônibus itinerante que vai proporcionar à população o atendimento e a realização de audiência. Esta é a melhor forma de levar conhecimento a quem tem pouco acesso à informação”, esclarece a coordenadora.

O Procon Comunitário tem a finalidade de levar cidadania para as regiões mais distantes de Alagoas, principalmente orientado e incentivando a população sobre os seus direitos como consumidor. “A importância destes jovens para o nosso projeto é fundamental. Eles vão ter condições de levar informação ao consumidor, além de se tornarem conscientes dos seus direitos e exigi-los”, explica o superintendente do Procon/AL, Rodrigo Cunha. O trabalho desenvolvido será monitorado pela central em Maceió, através do sistema de rede interno do órgão, para que seja dado o suporte necessário durante qualquer atendimento.