O direito dos policiais e bombeiros militares de chegarem à reserva remunerada com o subsídio de uma nova promoção, após 30 anos de serviços prestados, pode ser suprimido. Revoltados com esta possibilidade, as duas tropas marcaram uma Caminhada pela Paz, para as 9 horas deste domingo (16), com concentração na Praça Multieventos, na Pajuçara. O percurso será deste ponto, na orla marítima, até o antigo Alagoas Iate Clube, o Alagoinhas.

Além desta reivindicação, os militares sairão às ruas para mostrar que estão empenhados no apoio ao movimento nacional pela aprovação da Proposta de Emenda Constitucional nº 300, que equipara os salários da categoria aos vencimentos pagos aos policiais do Distrito Federal. A PEC 300 ainda está em discussão na Câmara Federal.

No debate acerca das mudanças na Lei de Promoções da PM, pelos conselheiros de Segurança de Alagoas, no último dia 20 de julho, uma sugestão mexeu com os ânimos dos militares. O conselho entendeu que o mais coerente seria abolir o critério de promoção por tempo de serviço. A alegação principal era a de que este benefício feria a Constituição Federal. No entanto, os militares rebatem fundamentando-se no fato de que a corporação possui uma legislação própria, e que está prevista na Carta Magna.

Até ser aprovada, de fato, a proposta ainda será avaliada pelo Gabinete Civil do governador, Procuradoria Geral do Estado e pela Assembleia Legislativa.

Assim que foram informadas da decisão, as lideranças do Movimento Unificado dos Servidores Militares se reuniram às pressas para traçar uma linha de ação. Com base no que ouviram nos bastidores dos quartéis, optaram por uma caminhada pacífica na orla marítima. Os líderes querem ainda mostrar para a sociedade que a desvalorização do profissional de segurança pública seria mais um fator negativo e que resultaria no aumento dos índices de criminalidade em todo o Estado.

PARTICIPAÇÃO

Militares da capital e do interior foram mobilizados pelas associações que representam a categoria. Convites apresentando a finalidade da caminhada foram distribuídos em todas as unidades do Estado. Caravanas com policiais e bombeiros estão sendo organizadas nos batalhões para que seja grande o número de participantes.

Para despertar o interesse e pedir o apoio da sociedade, faixas serão exibidas na passeata e um panfleto contendo informações importantes sobre a reivindicação da tropa militar será distribuído com a população.

Entidades que representam oficiais e praças, da ativa e da reserva remunerada, estão envolvidas neste protesto. Outras entidades, como CUT, Movimento pela Paz (MovPaz) e Reserva Técnica da PM e Corpo de Bombeiros, também participam do evento.