lance Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A renovação de Hernane, selada na segunda-feira, em São Paulo, não rendeu apenas um aumento salarial de três vezes maior do que o jogador ganhava anteriormente, mas também garantiu bonificações. O Flamengo, por sua vez, fechou os valores dentro de um pacote que assegurou a aquisição de mais 40% dos direitos econômicos do camisa 9.

O modelo de negociação proposto pelo Flamengo não separou, portanto, salários da compra dos direitos. O goleador do time em 2013, agora, passará a receber cerca de R$ 150 mil, além de luvas e premiações por objetivos alcançados. E o clube, na teoria, não desembolsou um valor extra para garantir os outros 40%, que somados aos 10% comprados no ano passado, totalizam 50% dos direitos.

A outra metade, por sua vez, ficou dividida por meio de uma parceria feita entre a Energy Sports, que passou a administrar o Mogi Mirim – clube no qual o atacante se destacou em 2012 – e a Talent Sports, que pertence ao empresário de Hernane.

Durante as conversas, que começaram antes do Carnaval, a questão salarial chegou a travar o andamento da renovação. Inicialmente, o Fla estava disposto a pagar cerca de R$ 120 mil de salários, R$ 30 mil a menos da pedida do agente do jogador.