Mais de 40 cidades estão com deficiência ou paralisação no serviço de fornecimento de água; confira a situação em cada município

Redação|
Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal)
Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) / Foto: Assessoria

Devido as chuvas intensas que foram registradas nos últimos dias e nesta segunda-feira (04), a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) informa à população que a chuva levou grande quantidade de lama e sedimentos para diversos mananciais em todas as regiões do Estado, elevando o nível de turbidez, prejudicando o processo de tratamento e, também, atingindo as estações da empresa, inclusive com danos a equipamentos.

Por esse motivo, a Companhia precisou suspender temporariamente as atividades de alguns sistemas de abastecimento e, por isso, 42 cidades seguem com deficiência ou paralisação do serviço de fornecimento de água tratada.

Confira abaixo, por região, a situação de cada cidade.

Na Bacia Leiteira, o Sistema Coletivo que atende à localidade foi paralisado, ainda no fim de semana, em virtude da alta turbidez da água do Rio São Francisco, prejudicando 18 cidades. Na mesma região e pelo mesmo motivo, o sistema individual de abastecimento de Belo Monte também foi paralisado.

Recebem água do Sistema Coletivo da Bacia Leiteira as seguintes cidades: Batalha, Cacimbinhas, Carneiros, Dois Riachos, Jacaré dos Homens, Jaramataia, Major Isidoro, Maravilha, Monteirópolis, Olho d’Água das Flores, Olivença, Ouro Branco, Palestina, Pão de Açúcar, Poço das Trincheiras, Santana do Ipanema, São José da Tapera e Senador Rui Palmeira.

Na região Agreste, os dois Sistemas Coletivos também estão paralisados desde o fim de semana devido à alta turbidez da água do Rio São Francisco. Com isso, Arapiraca e outras nove cidades ficam prejudicadas. São elas: São Brás, Girau do Ponciano, Olho D’água Grande, Campo Grande, Feira Grande, Lagoa da Canoa, Coité do Nóia, Craíbas e Igaci.

Na mesma região, Traipu, que tem um sistema individual de abastecimento, também está com o serviço suspenso em virtude da qualidade da água do rio e da grande quantidade de entulho que atingiu o equipamento de captação. Já Igreja Nova está com uma adutora rompida e várias áreas alagadas pelas chuvas, que impedem a manutenção da tubulação.

Na Região Serrana, o serviço de fornecimento de água tratada está paralisado, temporariamente, nas seguintes localidades: Palmeira dos Índios, Capela, Quebrangulo e Maribondo. Nessas cidades, os sistemas foram afetados pelas chuvas, que danificaram equipamentos e causaram o rompimento de adutoras e, também, prejudicaram a qualidade da água bruta nos mananciais.

Na região Leste e Zona da Mata, o abastecimento está comprometido em Ibateguara, Novo Lino e Jundiá, em virtude da qualidade da água bruta, e em Japaratinga, por conta de uma adutora rompida. Na mesma região, estão com o abastecimento de maneira parcial ou em recuperação nesta segunda-feira (4): Jacuípe, Matriz de Camaragibe e Passo de Camaragibe.

Na Região Metropolitana de Maceió, as chuvas atingiram os sistemas produtores de água de: Murici, que está sem abastecimento em razão da qualidade da água e de danos aos equipamentos e estações da Companhia; Messias, onde a captação do Osório está comprometida; e Rio Largo, cuja captação que atende aos conjuntos Jarbas Oiticica e Antônio Lins opera com redução de vazão em virtude também da qualidade da água bruta.

Técnicos da Casal seguem monitorando a qualidade da água bruta em todos esses mananciais e, tão logo for possível, o líquido será aduzido, tratado e distribuído novamente à população.

Enquanto isso, a Casal solicita encarecidamente que os moradores economizem água. Em caso de dúvidas, eles devem ligar para o Call Center 0800 082 0195.

*com Assessoria

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados