Médico alerta para nova onda de Covid em Alagoas e defende medidas de proteção

Guilherme Lamenha|

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) divulgou ontem (30) que os casos de Covid-19 em Alagoas aumentaram 96% nas duas últimas semanas epidemiológicas (24 e 25) e o número de mortes cresceu 250%, de uma semana para outra. Os dados foram informados durante a reunião do Grupo Técnico da Sala de Situação da Covid-19. Para o médico Marcos Ramalho, ex-secretário Executivo de Saúde de Alagoas, responsável pela criação desse Grupo, em 2020, a situação é preocupante e revela uma nova onda no Estado, com o crescimento expressivo do número de casos, internações e mortes.

“Graças à ação das vacinas, os casos estão menos letais, mas nem por isso deixam de superlotar serviços médicos públicos e privados. Hoje, na maioria das emergências, a Covid e a Síndrome Respiratória Aguda Grave representam grande parte da demanda, exigindo mais das equipes de saúde e da estrutura da rede”, explica Ramalho.

Segundo ele, os cuidados continuam essenciais nesse nova onda, assim como foi defendido no início da pandemia em 2020. A orientação é que as pessoas usem máscara nos lugares fechados, principalmente nos transportes públicos, lavem as mãos com frequência, façam uso do álcool em gel sempre que possível e evitem as aglomerações.

“Eu também faço um apelo para que as pessoas procurem os postos de vacinação que continuam funcionando em todo o Estado. É preciso aumentar a cobertura completar vacinal e tomar as doses de reforço. Só com todas essas medidas em conjunto vão diminuir a contaminação e a consequente ocupação de leitos”, completou o médico.

A Sesau também discutiu, durante a reunião do Grupo Técnico, a necessidade de uma nova ampliação de leitos para a doença no Estado, e o aumento da testagem para detectar a Covid-19, antes de procedimentos eletivos nos hospitais. Alagoas confirmou, nas últimas 24h, 490 novos casos de Covid e mais uma morte pela doença. Os dados constam no boletim epidemiológico da Sesau.

Ainda segundo o boletim, considerando todos os tipos de leitos exclusivos para Covid e Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), a taxa de ocupação do estado é de 42%. Dos 243 leitos disponíveis, 101 estavam ocupados.

Já considerando apenas os leitos de UTI, a taxa de ocupação no estado é de 43%. Do total de 49 leitos do tipo, 21 estavam ocupados. Na capital, a ocupação das UTIs é de 41%. Já em Arapiraca, a ocupação já chega a 100% dos cinco leitos desse tipo disponíveis na cidade. A última morte registrada foi de um paciente do município de Teotônio Vilela.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados