Rodrigo Cunha vai à Aneel e pede prorrogação por mais 6 meses da suspensão de corte de energia para famílias de baixa renda

Assessoria|

Em reunião realizada na sede da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) em Brasília, o senador Rodrigo Cunha (PSDB) reforçou pessoalmente ao diretor-geral da Agência, André Pepitone da Nóbrega, o pedido por prorrogação por mais 6 meses da suspensão de corte do fornecimento de energia elétrica para famílias de baixa renda. O corte estava suspenso para a população carente em todo o Brasil desde março de 2021, como uma forma de combater os efeitos da pandemia da Covid-19 sobre a população mais carente e estará em vigor somente até o próximo dia 30 de setembro.

“Precisamos adiar este prazo e seguir com o corte suspenso, porque os efeitos econômicos da pandemia ainda estão muito presentes nas famílias brasileiras, especialmente nas de baixa renda. São pais e mães de família que ainda não se reestruturaram e que não podem ficar sem energia devido ao fato de não terem como arcar com esta despesa básica. Estamos percorrendo Alagoas com o Feirão do Nome Limpo, ajudando os alagoanos a renegociarem seus débitos e a retirarem seus CPFs dos cadastros negativos, e uma das maiores dívidas do cidadão comum é com a empresa de fornecimento de energia elétrica. Fiz este apelo à Aneel e seguirei nesta luta em prol de nossa gente”, disse Rodrigo Cunha.

Além de solicitar pessoalmente a prorrogação do prazo da suspensão do fornecimento de energia, Rodrigo Cunha já havia protocolado Indicação parlamentar solicitando à Aneel a adoção do prolongamento da data. No encontro, o diretor-geral da Aneel se comprometeu a analisar a demanda proposta pelo senador alagoano, uma vez que a prorrogação da decisão de suspender o corte de energia de famílias de baixa renda não é uma questão de incentivar a inadimplência da população, mas sim amparar os mais vulneráveis economicamente neste momento ainda turbulento em termos sanitários, econômicos e sociais.

“A medida atinge cerca de 12 milhões de famílias que se enquadram na tarifa social de energia elétrica. Sem a prorrogação os consumidores mais vulneráveis podem ter o fornecimento desse serviço essencial interrompido. A pandemia tem afetado de forma intensa a parcela mais vulnerável da população, para a qual a fatura de energia representa proporção mais significativa do orçamento familiar, e com isso a prorrogação se faz necessária para garantir resolução e implementar medidas protetivas que permitam suportar esse período da pandemia com a manutenção de um serviço que é essencial”, diz o texto da Indicação protocolada pelo senador alagoano.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados