Blog do Vilar
Blog do Vilar

Em reunião, Moura e Ayres trocam “farpas” por conta de distribuição de vacinas em Alagoas

Lula Vilar|
Alexandre Ayres
Alexandre Ayres / Foto: Reprodução/Arquivo

Durante a reunião, ocorrida no dia de ontem, que discutiu a possibilidade do retorno dos eventos em Alagoas, o coordenador do Gabinete de Gestão Integrada de Combate à Covid-19 da Prefeitura de Maceió, Claydson Moura, cobrou do secretário estadual da Saúde, Alexandre Ayres, a distribuição de vacinas contra o novo coronavírus que, segundo ele (Moura), estariam sendo represadas pelo governo do Estado para garantir a segunda dose.

A fala de Moura, durante a reunião, incomodou Alexandre Ayres e resultou em uma sutil troca de farpas entre ambos, inclusive com a fala de Ayres negando que haja represamento de doses.

Claydson Moura fez um apelo ao titular da pasta estadual para liberar doses dos imunizantes: “Nos ajude nisso, o mais rápido possível. Que tem segunda dose guardada, você sabe que tem. Eu também sei que tem porque para cada dose que chega fica uma guardada. Se chega 30 mil doses, 15 mil vai para a segunda dose. Então, a gente tem segunda dose guardada. Vamos adiantar para que a gente possa fazer plantão, fazer o que possa ser possível”.

O coordenador do GGI de Combate à Covid-19 ainda frisou a necessidade de antecipar doses porque Maceió é o foco da alta temporada do turismo em Alagoas. “Alexandre, nos ajude com isso. Você tem muito bom senso, nós já conversamos algumas vezes, né secretário?”.

No meio da fala de Moura, com as cobranças direcionadas ao secretário estadual de Saúde, Alexandre Ayres alfineta de forma bem-humorada: “meu lombo está grosso já!”.

Moura segue: “Eu não estou dando lapada, não. Eu estou pedindo o óbvio. Me dê as doses, que para cada dose que chega (há outra guardada). Quando vocês veem na imprensa que chegou 120 mil doses, só chega 60 mil, porque as outras 60 mil vão para a geladeira, guardar para garantir a segunda dose. Das 60 mil, Maceió recebe 20 mil e o resto fica sob custódia do Estado, não é isso secretário?”.

Ao ser indagado se essa é a verdade, Alexandre Ayres solta um sonoro “não”, mas é rebatido por Moura: “É isso”.

Ayres diz que espera que Claydson Moura dê oportunidade dele falar e o coordenador do GGI emenda: “Eu não estou lhe expondo aqui não. Eu estou pedindo. Se tiver vacina, se puder concentrar, nós temos condições de vacinar 25 mil pessoas por dia”.

Ao conseguir falar, Ayres diz que não quer polemizar, naquela reunião, o tema da distribuição de vacinas. “Eu não quero perder o foco da nossa reunião. Isso é bem mais amplo. O enfrentamento da pandemia não é só vacina. A vacina é primordial e é importante, por isso não quero entrar nessa questão agora, porque perde o foco da reunião. É preciso o Estado se reunir com o município para discutir que a gente precisa testar (fazer testagem de Covid-19) a nossa população, aumentar a fiscalização. Então, há uma série de outras coisas”, respondeu o titular da Saúde estadual.

“Essa questão da segunda dose não pode ser colocada sobre as costas ou responsabilidade do Estado…”, frisa Ayres, sem conseguir terminar o raciocínio por ser interrompido por Moura.

Diante das interrupções, o secretário de Saúde de Alagoas é enfático: “Eu esperei você (Claydson Moura) terminasse, deixa eu concluir. É rapidinho. A gente depende de um repasse de remessa de vacinas do governo federal. Se você for no nosso estoque agora, verá que não temos tanta segunda dose represada. Quando a gente vacinava CoronaVac, eu segurava a segunda dose, porque o intervalo era mais curto e não correria o risco do governo federal não fazer o repasse. Mas agora, com a vacina da Pfizer não tem mais sido preciso. Maceió tem avançado bastante. A gente não está mais armazenando dose”.

Alexandre Ayres disse que a fala de Moura, ao cobrar doses, “não é um discurso real”. “Deixa eu te explicar uma coisa, e você está acompanhando o que está acontecendo. Eu trabalho em cima de perspectiva e de cumprimentos de cronogramas (…) e eu não vou colocar (o processo da vacinação) em risco. Eu posso até antecipar doses, desde que o Ministério da Saúde cumpra o seu cronograma. É o que eu estou fazendo”, colocou ainda o titular da pasta estadual.

“Não é fácil sentar aqui e ter que decidir tudo do bom e do ruim. É por isso que digo que a discussão aqui da gente é muito mais ampla do que só vacina. Vacinar é muito bom e eu lutei pra caramba para que isso acontecesse. Maceió tem dado um show (na vacinação). Perfeito, maravilha. Mas a Covid não é só isso. Então não dá para a gente achar que vai apostar todas as fichas na antecipação da segunda dose, porque lá em dezembro, se precisar de leito, quem vai ter é o Estado. Quem vai ter que assumir a responsabilidade é o Estado”, pontuou ainda Ayres.

“Parece até que o que eu estou pedindo é um absurdo. Eu estou pedindo que é o que o Ministério da Saúde anunciou. Se você não está com vacina é só dizer que não está com vacina. É na hora que chegar as doses entregar, é só o que eu estou pedindo”, colocou Moura.

Ayres reforçou que o compromisso é de enviar as vacinas assim que elas chegarem.

Mas, no final, Moura disse que é amigo de Alexandre Ayres e que não havia discussão não...

SOBRE O AUTOR

Blogueiro do Cada Minuto

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados