Da bancada alagoana no Senado, apenas Collor votou favorável a privatização da Eletrobrás

Senado Federal
Senado Federal / Internet

Os senadores aprovaram nesta quinta-feira (17) a Medida Provisória que permite a desestatização da Eletrobras. Da bancada alagoana, apenas Fernando Collor se posicionou e votou favorável a medida. 

Nas redes sociais, o senador Rodrigo Cunha comentou que a medida chegou no Senado de forma “muito acelerada” e não a oportunidade do debate necessário, tanto que não deixa claro qual será o impacto para o bolso do consumidor. 

Collor escreveu apenas que a desestatização da Eletrobras vai significar um maior investimento e ampliação do setor elétrico no país.  O modelo de desestatização prevê a emissão de novas ações da Eletrobras, que serão vendidas no mercado sem a participação da União, resultando na perda do controle acionário de voto mantido atualmente por ela. 

Cada acionista, individualmente, não poderá deter mais de 10% do capital votante da empresa. A União terá uma ação de classe especial (golden share) que lhe garante poder de veto em decisões da assembleia de acionistas.

A MP foi aprovada com dispositivos introduzidos pela Câmara dos Deputados que preveem que o governo federal patrocine, pelos próximos 15 anos, a contratação de usinas termelétricas a gás natural em regiões do interior do país onde hoje não existe esse fornecimento. 

A Medida voltou para Câmara dos Deputados e deve ser aprovada até o dia 22, quando perde sua validade. 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados