Um cidadão maceioense que trabalha seis vezes por semana gasta R$ 175 com passagens de ônibus, considerando ida e volta. A capital possui uma tarifa alta e incompatível com a qualidade do serviço e com a renda da população. JHC (PSB) é um candidato preocupado com a mobilidade urbana, ele vai garantir a revisão das licitações, vírgula por vírgula, e decretar a redução da passagem.

“Meu primeiro ato como prefeito vai ser um decreto para baixar a passagem de ônibus e melhorar a qualidade dos serviços. Por isso, eu vou abrir uma verdadeira licitação para acabar com essa máfia do transporte. Vamos enfrentar com muita coragem, para gente mudar essa realidade, cuidar do nosso povo, trazer mais alegria. A prioridade é respeitar o povo de Maceió”, explica JHC.

Como deputado, JHC sempre cobrou transparência e responsabilidade da Prefeitura nos contratos com as empresas de ônibus. Ano passado, entrou com ação na Justiça para impedir o aumento da tarifa e não prejudicar a vida de trabalhadoras como a dona Onélia, moradora do Benedito Bentes. Ela chega a gastar 50 minutos só para chegar no terminal do bairro, lá pega outro ônibus para o trabalho.

“Nossa passagem é muito cara. Um trabalhador que ganhar um salário mínimo não tem condições de manter sua casa, às vezes um filho que precisa estudar, um filho que precisa ir a um curso, a um médico. Sem contar que uma família gasta em torno de R$ 50 por dia com passagem de ônibus”, conta dona Onélia, que foi acompanhada por JHC do Benedito Bentes até a Ponta Verde.

JHC também vai aumentar o número de ciclovias na capital. Em 2014, por exemplo, o total de viagens de bicicletas somaram 603.216 por dia, superando, inclusive, o fluxo de viagens através do transporte individual (541.039 viagens/dia) e do transporte coletivo (365.736 viagens/dia). Além de ser um transporte mais barato, é ecologicamente mais viável e de deve receber atenção do futuro gestor da capital.

O Plano de Mobilidade Urbana é outra preocupação do candidato. “Maceió é a única capital brasileira que não dispõe de um Plano de Mobilidade Urbana. Sem falar que é uma obrigação estabelecida por lei para municípios com mais de 20 mil habitantes. Nós vamos criar e implementar esse Plano de Mobilidade, é um compromisso que temos com a população.”, completa JHC.

JHC tornará o sistema público de transporte mais atrativo por meio de ações que o faça mais confortável, pontual e rápido. Além de ampliar o número de linhas para o serviço noturno e realizar estudos para autorizar o transporte complementar intrabairros, onde não haja linha regular. Para o monitoramento das vias, promoverá o aperfeiçoamento da sala de vídeo gestão do trânsito, integrando com os equipamentos e sistemas de Segurança Pública.